Apontado como co-autor da fraude que permitiu acesso aos dados fiscais de Verônica Serra, filha do candidato à Presidência da República José Serra, o office boy Ademir Estevam Cabral disse nesta sexta-feira (10) ao G1 que vai depor à Polícia Federal sobre o caso na próxima segunda-feira (13) pela manhã. Esse será o segundo depoimento do office boy. Cabral depôs na quinta-feira (9) à Polícia Civil e negou que tenha se envolvido em qualquer irregularidade.

Cabral passou a ser questionado desde que o técnico em contabilidade Antônio Carlos Atella atribuiu a ele a co-participação na fraude contra Verônica Serra. "Eu nem a conheço. Em hipótese alguma", afirmou o oficce boy. Cabral afirma que seu trabalho se resume a transportar papéis. "O que eu faço é levar a documentação e retirar a documentação", afirmou.

O office boy de 51 anos diz que tenta retomar a rotina. "Eu ainda trabalho no mesmo lugar. Ainda trabalho parcialmente, mas ainda vou conseguir trabalhar completamente", afirmou. "Tudo o que está acontecendo é um fato novo para mim, porque eu nunca tinha passado por isso antes e nem me envolvido com a polícia", afirmou.

A polícia colheu a assinatura de Cabral para comparar com a que existe em documentos apreendidos. O inquérito aberto pela Polícia Civil paulista apura a falsificação de documentos. A Polícia Federal apura quebra do sigilo fiscal de Verônica.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]