Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Brasília - A oposição promete ingressar esta semana com representação no Ministério Público Eleitoral contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva por crime eleitoral. O PPS acusa o presidente de ter usado sua residência oficial, o Palácio do Alvorada, para reunir ontem aliados do governo que discutiram estratégias para a campanha de Dilma Rousseff (PT) no segundo turno.

O partido, que anunciou a representação, argumenta que Lula estava em seu horário de expediente para discutir assuntos de campanha. "É claramente a utilização de recursos dos cofres públicos para fins eleitorais, o que configura um crime eleitoral. Portanto, o PPS vai pedir que o Ministério Público investigue a origem dos recursos, a fonte dos gastos desse claro ato do presidente Lula de desrespeito à legislação eleitoral", disse o deputado Raul Jungmann (PE).

Prédio público

O partido acusa Lula de ter violado a lei eleitoral que proíbe aos agentes públicos realizar ações de campanha em prédios públicos durante o expediente. O PPS também cogita ingressar com ações contra governadores que participaram do encontro, caso as viagens para Brasília tenham sido custeadas pelos cofres públicos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]