“Tenho muita confiança de reduzir a dívida”, disse Osmar sobre o Caso Banestado. | Gladson Angeli
“Tenho muita confiança de reduzir a dívida”, disse Osmar sobre o Caso Banestado.| Foto: Gladson Angeli

Confira a sabatina completa na Gazeta do Povo desta quarta-feira

Leia mais sobre a sabatina de Osmar Dias na edição impressa da Gazeta do Povo nesta quarta-feira (22). Na internet, o material vai contar com um vídeo com os principais trechos e a íntegra da entrevista em áudio.

Sabatinas dos candidatos ao Senado

As entrevistas com os candidatos ao governo faz parte da segunda série de sabatinas promovida pela Gazeta do Povo nesta eleição. Na primeira semana de setembro foram publicadas entrevistas com Gleisi Hoffmann (PT), Gustavo Fruet (PSDB), Ricardo Barros (PP) e Rubens Hering (PV), quatro dos cinco principais candidatos do Paraná ao Senado Federal. Apenas o ex-governador Roberto Requião (PMDB) não participou da sabatina alegando não concordar com as regras – o candidato não aceitou ser entrevistado na sede do jornal.

Terminou por volta das 11h15 a sabatina da Gazeta do Povo com o candidato ao governo do estado Osmar Dias (PDT). Ele foi o segundo a participar da série de entrevistas. Na segunda-feira (20), quem respondeu as perguntas dos jornalistas foi Beto Richa (PSDB).

Por diversas vezes Osmar aproveitou para criticar seu oponente na disputa pelo cargo de governador do Paraná. Na maioria das oportunidades acusou Richa de ter abandonado a prefeitura de Curitiba antes do término do seu mandato, quebrando, inclusive, uma promessa que havia feito. Também abordou questões bem recentes, como o tráfico de influência na Casa Civil (elogiou a postura do presidente Lula sobre o caso) e lembrou que Richa votou pela venda do Banestado.

Durante cerca de duas horas e 15 minutos o candidato respondeu as mais variadas questões formuladas pelos jornalistas da Gazeta do Povo. Participaram da sabatina Oscar Röcker Netto, chefe de redação, Eduardo Aguiar, editor-executivo de Vida Pública, Fernando Martins, editor de Vida Pública, Celso Nascimento, colunista, Rogério Galindo e André Gonçalves, repórteres e blogueiros especializados em política, além dos repórteres Carlos Eduardo Vicelli, Gladson Angeli e Rosana Félix.

Confira abaixo alguns dos temas abordados na sabatina.

Segurança Pública

Segundo Osmar Dias, 80% dos problemas relacionados com a falta de segurança pública no estado tem relação com o tráfico de drogas. Para diminuir a criminalidade, ele acredita que deve-se combater a causa.

"Não adiante colocar policiais nas ruas se não se combater a causa da violência", disse. Osmar pretende trabalhar em parceria com o governo federal para coibir a entrada de armas e drogas no estado pela fronteira. Também pretende investir em clínicas de recuperação de dependentes.

Copa do Mundo

O candidato se disse contrário a utilização de dinheiro público para construção de obras privadas. A frase foi dita em resposta ao questionamento sobre a posição dele em relação ao acordo entre o governo e o Clube Atlético Paranaense para preparação da Arena da Baixada para receber os jogos da Copa do Mundo de 2014.

"Dinheiro publico é para obras públicas", afirmou. Ele disse que o BNDES tem uma linha de crédito para os times realizarem as obras necessárias. Segundo Osmar, o governo deve investir em obras de infraestrutura urbana nas cidades sedes - melhoria das ruas, sistema de transporte coletivo e aeroportos.

Salário X Campanha

Osmar foi questionado se via algum problema nos senadores que estão fazendo campanha eleitoral continuarem a receber o salário. Ele não vê problema, pois segundo o candidato, o regimento interno do Senado libera os parlamentares para fazerem campanha durante 60 dias.

"É da democracia o parlamentar fazer campanha. Tudo que estou fazendo está dentro das regras vigentes. Se a sociedade não concorda, é preciso se mobilizar para uma reforma política", disse.

Caso Banestado

Osmar afirmou que é o melhor candidato para resolver as dívidas da venda do Banestado. "Já negociei o fim da multa e vou regenociar a dívida", disse. A ideia do pedetista é discutir com o Banco Itaú o fim ou a redução dos pagamentos.

Arrependimento

Osmar foi questionado sobre o apoio que deu ao tucano nas duas últimas eleições municipais de Curitiba. Ele afirmou que se arrependeu do apoio na segunda vez. "Me arrependo do apoio na reeleição pois ele não cumpriu o compromisso de concluir o mandato", disse.

Críticas

O candidato Osmar Dias começou a sabatina disse que seu adversário não está preparado para ser governador do Paraná. A afirmação foi feita em resposta as críticas feitas a ele por Beto Richa. Durante a sabatina da Gazeta do Povo na segunda-feira (20) o tucano afirmou que faltava ética ao pedetista na hora da formação de suas alianças.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]