Rio de Janeiro - A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, rebateu ontem as críticas de seu adversário José Serra (PSDB) que, no domingo, voltou a usar as denúncias de tráfico de influência na Casa Civil para atacar a petista. O tucano questionou a capacidade administrativa de Dilma, dizendo que "ou ela não é capaz, ou é cúmplice".

"Nem uma coisa, nem outra. Não acredito que alguém saiba tudo o que está acontecendo na sua própria família. E também não acredito que alguém saiba tudo o que acontece no governo" , afirmou Dilma. "Até porque eu tenho visto que o presidente da Dersa [Desenvolvimento Rodoviário S/A], que ele [Serra] nomeou, sumiu com R$ 4 milhões da campanha dele." Dilma se referiu a uma acusação de que o engenheiro Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da estatal paulista Dersa e responsável pelo Rodoanel, teria arrecadado cerca de R$ 4 milhões junto a grandes empreiteiras para as campanhas eleitorais de 2010. Segundo denúncia publicada na semana passada na revista IstoÉ, os recursos não chegaram ao caixa da campanha de José Serra.

Em São Gonçalo, no Rio, Dilma evitou falar sobre as denúncias envolvendo a Casa Civil e os Correios. "Não tenho condições de avaliar, não estou dentro do governo. Não tenho acesso a todas essas informações."

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]