Gleisi evitou falar com a imprensa após o resultado final | Jonathan Campos/ Gazeta do Povo
Gleisi evitou falar com a imprensa após o resultado final| Foto: Jonathan Campos/ Gazeta do Povo

Terceira colocada na disputa pelo governo do Paraná, a senadora Gleisi Hoffmann (PT), criticou a campanha feita por seus adversários, afirmando que buscou trazer propostas concretas para o debate. "Apesar das mentiras e das calúnias propagadas pelos adversários contra a nossa candidatura, fizemos uma campanha limpa, séria, baseada em propostas concretas de desenvolvimento para o estado", disse, por meio de nota. "Tenho certeza que contribuímos com o processo de discussão da situação política e econômica do nosso estado", acrescentou.

Veja o resultado da apuração dos votos para governador no Paraná

Veja o resultado da apuração dos votos para governador na cidade de Curitiba

A petista afirmou ainda que irá dedicar as próximas semanas à campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). "A reeleição da presidenta Dilma Rousseff é fundamental para que o país siga em frente".

A senadora acompanhou a apuração dos votos em seu apartamento, no bairro Água Verde, em Curitiba, com o marido, o ministro Paulo Bernardo, e com os filhos. Ela não atendeu a imprensa. Gleisi terminou o pleito com 14,8% dos votos válidos – ou 881.857 no total.

Na nota, a senadora também criticou a gestão do governador reeleito, Beto Richa (PSDB). "Desejo que o governo reeleito melhore a gestão do estado e entregue as promessas feitas em campanha, honrando a boa vontade e a confiança dos paranaenses."

Gleisi agradeceu os paranaenses pela confiança e afirmou que termina a campanha com sentimento de dever cumprido. Elogiou também os militantes do PT e dos partidos de sua coligação. Destacou ainda que segue trabalhando no Senado e defendendo dos interesses do Paraná. "Continuarei trabalhando por mais e melhores recursos para o Paraná, continuarei a defender as principais bandeiras do estado e, principalmente, continuarei lutando para melhorar a qualidade de vida da nossa gente", disse ela, que foi eleita em 2010 com 3,1 milhões de votos.

Coordenador da campanha de Dilma no Paraná, o deputado federal Dr. Rosinha (PT) falou que, como militante do partido, considerou o resultado insatisfatório. "Quando a eleição acaba no primeiro turno, todos os partidos perdem. Perde-se com a falta de debate", afirmou. "Faltou um candidato mais forte ao Senado na chapa majoritária", disse ainda Rosinha, que perdeu para Ricardo Gomyde (PCdoB) a indicação para a disputa pelo Senado pela chapa.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]