i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Polêmica

Partidos e OAB pedem punição a Fidelix por homofobia

  • PorDas agências
  • 29/09/2014 21:18
Fidelix: dois iguais não fazem filhos | Nacho Doce/ Reuters
Fidelix: dois iguais não fazem filhos| Foto: Nacho Doce/ Reuters

Representantes do PSol e do PV protocolaram ontem na Justiça Eleitoral e no Ministério Público (MP) pedidos de investigação e punição ao candidato à Presidência Levy Fidelix (PRTB) por homofobia. A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também enviou ontem representações ao Tribunal Superior Elei­­toral (TSE).

No debate entre os con­­correntes ao Palácio do Pla­­nal­­to da TV Record, na noite de domingo, Fidelix, quando foi questionado por Luciana Genro (PSol) sobre sua posição sobre a legalização do casamento homoafetivo, respondeu: "Olha, minha filha, tenho 62 anos e pelo que eu vi na vida dois iguais não fazem filhos". Depois, o candidato afirmou que "aparelho excretor não reproduz". E disse que a maioria dos brasileiros, que segundo ele seria contra o casamento gay, deveria se unir contra os homossexuais: "Então, gente, vamos ter coragem, nós somos maioria, vamos enfrentar essa minoria".

Como reação, Luciana Genro e o deputado federal Jean Wyllys (PSol-RJ) apresentaram ontem uma representação contra o candidato do PRTB no TSE pedindo que Fidelix seja punido, nos termos da legislação, por ter incitado o ódio e a violência contra a população LGBT. Já André Pomba, candidato do PV a deputado federal, protocolou uma representação contra Fidelix no MP para que seja aberto um inquérito para apurar desrespeito à dignidade humana e injúria homofóbica. O pedido foi protocolado a pedido do candidato do PV à Presidência, Eduardo Jorge.

Repercussão

A declaração de Fidelix também repercutiu negativamente no meio político. A Rede Sustentabilidade, partido em fase de criação e que tem como líder a candidata do PSB à Presidência, Marina Silva, disse que o candidato se comportou de forma "homofóbica" e "segregacionista". Aécio Neves (PSDB) também condenou as declarações de Fidelix: "Foi uma participação absolutamente sem sentido e equivocada de um candidato e sobre aquilo que nós condenamos." Já Dilma Rousseff (PT) voltou a defender a criminalização da homofobia.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.