i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
ELEIÇÕES 2016

Candidatos à prefeitura de Curitiba reclamam de propaganda eleitoral mais curta

Neste ano, o período de veiculação de propaganda gratuita em rádio e TV é menor em relação às eleições anteriores

  • PorKelli Kadanus
  • 26/08/2016 22:41
Evento com os candidatos na Casa do Estudante Universitário (CEU) | Daniel Castellano/Gazeta do Povo
Evento com os candidatos na Casa do Estudante Universitário (CEU)| Foto: Daniel Castellano/Gazeta do Povo

Começou nesta sexta-feira (26) o período de veiculação da propaganda eleitoral gratuita em rádio e TV. Neste ano, o período de propaganda gratuita é menor e vai até o dia 29 de setembro. Os candidatos à prefeitura de Curitiba reclamaram do encurtamento em um evento promovido pela Casa do Estudante Universitário (CEU).

Para os candidatos, a nova legislação eleitoral é antidemocrática. “São as leis feitas pelos eleitos. A campanha hoje busca de todas as maneiras garantir a quem já tem nome, a quem já tem cargo, a facilidade. É completamente antidemocrático o novo sistema”, disse o deputado Requião Filho (PMDB).

Em evento estudantil, Requião Filho aproveita ausência de Fruet e Greca e ataca

Leia a matéria completa

“A mudança da lei eleitoral viola a democracia, no sentido de que não garante acesso à informação de todos os candidatos”, disse a candidata Xênia Melo (PSol). No primeiro dia de veiculação, o PSol ficou de fora do horário eleitoral gratuito pela manhã. “A gente não optou, a gente teve uma dificuldade com o TRE [Tribunal Regional Eleitoral] de ter alterado em cima do tempo as regras de entrega. O que o TRE faz é uma falta de respeito aos partidos que não possuem estruturas milionárias”, reclamou a candidata. Segundo Xênia, a situação estará normalizada ainda nesta sexta-feira no horário da segunda exibição da propaganda eleitoral em TV.

“A propaganda eleitoral é um espaço democrático onde todos os candidatos teriam a mesma chance de apresentar suas propostas. Infelizmente o sistema foi desvirtuado e hoje se vende o tempo desse ou daquele partido para esse ou aquele candidato que tem o poder de garantir mais estrutura para outros candidatos”, reclamou Requião Filho.

Para o deputado Tadeu Veneri, candidato do PT à Prefeitura, o horário eleitoral gratuito é importante para mostrar as propostas à população. “As pessoas passam a ver que há propostas que são feitas que são absolutamente inexequíveis, outras são contraditórias”, disse. Segundo ele, a diminuição do tempo da propaganda eleitoral não é tão ruim. “Eu acho que não é necessariamente ruim porque o horário eleitoral precisa deixar de ser visto como a única salvação no que diz respeito a relação com o eleitorado. Aquilo que não construímos todos os dias debatendo com a população não vai ser diferente no processo eleitoral”, disse.

O vereador Paulo Salamuni (PV), candidato a vice na chapa do atual prefeito Gustavo Fruet (PDT), frisou a necessidade dos candidatos serem mais diretos nas propagandas eleitorais. “A menor distância entre dois pontos é uma linha reta, é ser direto, dizer a que veio. Vai ter que ter essa comunicação direta”, disse. “ é uma campanha diferente. Tudo muito rápido, piscou, passou. Vamos esperar que o eleitor tenha a condição de assimilar essa nova forma de fazer eleição”, completou.

O candidato Ademar Pereira (Pros) analisa que o horário eleitoral mais curto não deve impactar no resultado das eleições. “As pessoas não assistem mais. Tem um componente psicológico que marca o início da campanha, as pessoas começam a falar de política, mas com a TV a cabo, a vida na cidade muito agitada, as pessoas deixam de assistir”, afirmou.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.