i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
eleições 2016

Candidatos governistas disputam apoio de prefeito na eleição em Londrina

Do outro lado, oposição se divide em três blocos para tirar Alexandre Kireeff (PSD) da prefeitura

  • PorFábio Silveira, especial para a Gazeta do Povo
  • Londrina
  • 17/08/2016 14:44
Alexandre Kireeff é “disputado” por três candidatos a prefeito de Londrina; | Divulgação/Prefeitura de Londrina
Alexandre Kireeff é “disputado” por três candidatos a prefeito de Londrina;| Foto: Divulgação/Prefeitura de Londrina

Diante da ausência do prefeito de Londrina, Alexandre Kireeff (PSD), que decidiu não tentar a reeleição, o campo governista aponta para ele em busca de apoio na campanha.

São três candidatos defendendo a administração municipal, mas o único que recebeu apoio formal do partido do prefeito, o PSD, é o ex-presidente da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Valter Orsi (PSDB).

ELEIÇÕES: Veja mais notícias sobre o pleito de 2016

Kireeff, que se classifica como um “incentivador” das candidaturas governistas, em vez de “articulador”, também simpatiza com a candidatura do advogado e professor universitário André Trindade (PPS) e da vereadora Sandra Graça (PRB) – esta última começou a ocupar cargos públicos na gestão do ex-prefeito Antonio Belinati, com quem a gestão Kireeff rivaliza.

Sandra Graça, por sinal, anunciou publicamente que estava desistindo da candidatura, alegando que não tinha conseguido viabilizar estrutura para a campanha eleitoral, mas confirmou a candidatura. O apoio veio do PDT. que teria candidato, mas desistiu para indicar o vice na chapa de Sandra Graça.

O atual prefeito, inclusive, participou de uma reunião em um hotel de Londrina com os três candidatos na semana passada. Na mesma noite e hotel aconteceu a convenção do PSB, um dos partidos que apoiam Kireeff e que se aliou ao PPS, indicando o vice na chapa encabeçada por Trindade.

O governador Beto Richa (PSDB), que cumpriu agenda sexta-feira em Londrina, estava hospedado nesse hotel na noite de quinta-feira, mas segundo aliados, ele não participou diretamente da reunião com a base aliada de Kireeff.

Oposição

A oposição se divide em pelo menos três blocos. O primeiro é o do deputado federal Marcelo Belinati (PP), sobrinho e herdeiro político do ex-prefeito Antonio Belinati, conta também com o apoio do ministro da Saúde, Ricardo Barros. Sua candidatura é considerada competitiva e também estratégica para a família Barros, que está de olho no Palácio Iguaçu, em 2018. Vencer em Maringá, base dos Barros e em Londrina seriam passos importantes para o grupo do ministro.

O segundo bloco é o da oposição de esquerda, que conta com dois candidatos. O mais jovem é Paulo Silva, de 23 anos, um estudante de Psicologia da Universidade Estadual de Londrina (UEL), nascido e criado na periferia de Londrina. E o médico Odarlone Orente, do PT, que apesar de já ter administrado a cidade em três mandatos (uma com Luiz Eduardo Cheida, de 1993 a 1996 e duas com Nedson Micheleti, de 2001 a 2008), sofre forte rejeição em Londrina.

O fato de os dois partidos estarem na oposição de esquerda não significa que agirão de forma coordenada – como o bloco “kireeffista”. Pelo contrário, o Psol, que faz um discurso de críticas ao PT, pretende ocupar o espaço perdido pelos petistas por conta da crise nacional.

No terceiro bloco estão dois advogados: Luciano Odebrecht (PMN), que disputou uma cadeira na Assembleia Legislativa pelo PSD de Kireeff em 2014, pretende fazer um discurso de “terceira via” como opção ao bloco governista e a Belinati. Flávia Romagnoli, escolhida como candidata da Rede tem que enfrentar uma batalha interna em seu partido para consolidar a candidatura: a direção estadual da Rede não reconhece a comissão provisória de Londrina e a dissolveu no final de julho. Logo, comissão, convenção e candidatura não são reconhecidas pelo partido. No fim, a decisão ficará para a Justiça Eleitoral, no momento do registro da candidatura.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.