A cúpula do PMDB defendeu neste sábado (26), durante cerimônia de filiação da senadora Marta Suplicy ao partido, a ruptura com o PT em São Paulo. Na chegada ao local do evento, integrantes do comando do PMDB afirmaram que o partido terá candidato próprio na disputa pela prefeitura de São Paulo, em 2016.

“Teremos candidato à prefeitura”, afirmou o ministro de Minas e Energia Eduardo Braga. Vice-presidente do partido, Valdir Raupp disse que a presença de líderes nacionais é o indício de que o PMDB romperá com o prefeito Fernando Haddad (PT), que tentou convencer o PMDB a não lançar a ex-petista na disputa pela prefeitura.

Temendo que o eleitorado tradicional do PT possa migrar para Marta, o prefeito decidiu investir na bancada de vereadores peemedebistas e nos integrantes do diretório municipal do PMDB para impedir que eles escolham a senadora como candidata à prefeitura no ano que vem.

Haddad teve uma reunião dura com os quatro vereadores do PMDB de São Paulo. No encontro, chegou a apelar para que os vereadores apoiassem a candidatura de Chalita à Prefeitura, no lugar de Marta. Ainda segundo dois participantes do encontro, Haddad disse que não é “trouxa” e ameaçou lançar cinco candidatos para disputar com os vereadores do PMDB em seus redutos.

Há um cuidado por parte da lideranças peemedebistas de não transformar o ato em São Paulo num lançamento antecipado de uma candidatura de Marta à prefeitura. Mesmo assim, a organização da festa já entoou palavras de ordem que sugerem Marta para a eleição em São Paulo e Temer para a Presidência. “1, 2, 3, 4, 5, mil, Marta e Michel em São Paulo e no Brasil”, cantaram animadores do evento.

Filiação

Lideranças do PMDB apareceram em peso na filiação de Marta ao partido. A senadora aguardou a chegada do presidente em exercício, Michel Temer, para dar início ao evento. O presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o presidente do Senado, Renan Calheiros, também estão presentes.

Os primeiros a chegar foram os senadores Romero Jucá e Valdir Raupp. O ministro Eduardo Braga, entrou no teatro Tuca, da PUC-SP, em meio a uma queda da eletricidade no local do evento. Políticos do PCdoB, como o ministro Aldo Rebelo, e o deputado Orlando Silva, também foram prestigiar Marta Suplicy.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]