• Carregando...

A ex-secretária estadual da Ciência e Tecnologia (Seti) Lygia Pupatto, terá de devolver R$ 867.205,31 aos cofres públicos. O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) julgou irregulares as contas de 2008 da secretaria. A decisão foi aprovada na sessão do Pleno de 27 de junho. Ainda cabe recurso.

Segundo o TCE-PR, o motivo da desaprovação das contas foram irregularidades na compra de 8.435 computadores para equipar as universidades estaduais paranaenses, ligadas à Seti. O valor total da compra, realizada por meio do Pregão Eletrônico 429/2008, somou R$ 11,17 milhões. Em 2010, durante fiscalização na Seti, técnicos do TCE apuraram que Lygia teria comprado 905 computadores além do número autorizado pelo governo. A autorização era para a compra de 7.530 unidades. O número excedente teria resultado em um acréscimo de R$ 1,31 milhão no gasto total.Outras ilegalidades apontadas pelo TCE durante a gestão da ex-secretária foram a abertura do certame cinco dias antes da autorização formal do governo e a falta de publicidade da licitação.

Ao JL, Lygia disse que seus advogados irão recorrer da decisão. Ao contrário do que informou o TCE, ela disse que o problema com os 905 computadores é que eles teriam ficado desmontados por um mês nas universidades e negou que foram comprados equipamentos em quantidade maior à autorizada pelo governo. Sobre a licitação, Lygia afirmou que todo o processo foi feito pela Secretaria de Administração e não pela Seti. "Estou bem tranquila em relação a isso [decisão do TCE]".

Lygia Pupatto esteve à frente da Seti entre 2006 e 2010. Entre 2002 e 2006, ela foi reitora da UEL. Em maio de 2011, ela assumiu a Secretaria de Inclusão Digital, órgão ligado ao Ministério das Comunicações.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]