• Carregando...
José Anchieta Júnior (PSDB), governador de Roraima na época do pagamento da propina | Antonio Cruz/Agência Brasil
José Anchieta Júnior (PSDB), governador de Roraima na época do pagamento da propina| Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil

Leia o texto divulgado pela Força Aérea Brasileira:

A Força Aérea Brasileira (FAB) suspendeu imediatamente a execução dos contratos que mantinha com a empresa Dallas Airmotive até o total esclarecimento das denúncias do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Se as acusações forem comprovadas, a FAB vai rescindir os contratos, com base no artigo 79, inciso XII da Lei 8666/93, buscando inclusive o ressarcimento cabível.

A FAB também instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar o envolvimento dos acusados, ainda não identificados.

Ressaltamos que a FAB repudia atitudes desta natureza e atua firmemente para coibir desvios de conduta de seu efetivo.

A Força Aérea Nacional (FAB) decidiu, na última sexta-feira, suspender a execução dos contratos que mantinha com a empresa americana Dallas Airmotive, que admitiu ter pagado propina a comandantes da corporação em Roraima. A medida valerá até o total esclarecimento das denúncias apresentadas pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos. A informação foi divulgada na quinta-feira pelo jornal americano "The Wall Street Journal".

Em nota, a FAB afirma que, se as acusações forem comprovadas, ela irá rescindir os contratos e pedirá o ressarcimento cabível do valor deles. A FAB também instaurou um inquérito policial militar para apurar o envolvimento dos oficiais, que ainda não foram identificados. "Ressaltamos que a FAB repudia atitudes desta natureza e atua firmemente para coibir desvios de conduta de seu efetivo", diz ainda a nota.

A companhia Dallas Airmotive, que faz manutenção de motores de avião, admitiu à Justiça americana que pagou propina a oficiais da FAB e ao governo de Roraima entre 2008 e 2012. Na época, o governador era José de Anchieta Júnior (PSDB). A empresa concordou em pagar uma multa de US$ 14 milhões por ter desrespeitado leis americanas contra corrupção em países estrangeiros.

Manutenção

A propina foi paga por funcionários e representantes da Dallas Airmotive que faziam negócios na América Latina. O Departamento de Justiça dos Estados Unidos confirmou o caso e diz que a empresa agora colabora com as autoridades.

Oficiais da força aérea do Peru e de uma província na Argentina também teriam recebido propina. Para repassar o dinheiro, foram fechados contratos com empresas de fachada, entre outros métodos. A FAB informou que soube pela imprensa do acordo firmado entre a Dallas Airmotive e o Departamento de Justiça Americano que cita o fornecimento de propina a militares do seu efetivo. O documento americano faz referência a um sargento e a um sub-oficial. De qualquer maneira, a força informou que já apura os fatos para identificar os responsáveis e os detalhes da denúncia.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]