O ex-prefeito de Realeza, no Sudoeste do Paraná, Eduardo Gaievski (foto) teve o pedido de habeas corpus negado, por unanimidade, pela Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) ontem. Gaievski, que também foi assessor da Casa Civil da Presidência durante a gestão de Gleisi Hoffmann à frente da pasta, está preso em Francisco Beltrão desde 31 de agosto de 2013, acusado de favorecimento de prostituição e de cometer estupros, inclusive de adolescentes menores de 15 anos, entre 2005 e 2012. Os 17 processos contra ele correm em segredo de Justiça. A denúncia foi apresentada pelo Ministério Público em 2010, com base em escutas telefônicas. A intenção da defesa de Gaievski é de que ele pudesse responder aos processos em liberdade. "Por uma questão de isonomia, o pedido de habeas corpus deveria ter sido concedido", diz o advogado Samir Mattar Assad.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]