A Helisul Táxi Aéreo venceu ontem a licitação do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ) para contratar a fornecedora de um jatinho para locação. O preço ofertado pela empresa foi de R$ 16,90 por quilômetro voado -- o teto era de R$ 16,917. Como o edital prevê a utilização de no máximo 35 mil quilômetros de voo por ano, o custo anual aos cofres públicos poderá chegar a até R$ 591,5 mil.

A concorrência, porém, está sob análise da Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que determinou a abertura de um procedimento para apurar os motivos da licitação. Uma das razões alegadas pelo CNJ é que, no dia 13 de junho, a entidade doou um avião bimotor ao Judiciário paranaense, que havia sido apreendido do tráfico de drogas.

"É só ir ao Fórum Cível da capital para ver a dificuldade de trabalho, a falta de servidores, de equipamentos", criticou o conselheiro do CNJ Jefferson Kravchychyn, para quem a licitação é um gasto desnecessário.

Já o presidente do TJ, desembargador Miguel Kfouri Neto, voltou a defender a contratação de horas-voo pelo tribunal, alegando que a medida é necessária para casos emergenciais.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]