i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Testemunha

Justiça manda intimar Campos para depor na Lava Jato

Ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência será chamado para prestar informações sobre as obras da Refinaria Abreu e Lima

  • PorAgência Estado
  • 23/07/2014 17:49

A Justiça Federal acolheu pedido da defesa do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa - alvo da Operação Lava Jato -, e mandou intimar o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB) para depor no processo sobre lavagem de dinheiro supostamente desviado das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

A decisão é do juiz federal Sérgio Moro. Mas ele advertiu sobre o risco da demora na localização das testemunhas. "Na compreensão, será muito difícil a oitiva de referidas testemunhas em período de campanha eleitoral, concorrendo ambos a cargos eletivos, o primeiro presidencial", assinalou o juiz federal Sérgio Moro.

O juiz destacou que os esclarecimentos pretendidos pela defesa ("os motivos que implicaram no aumento substancial do valor da obra da Refinaria Abreu e Lima") poderiam ser obtidos de outra forma, "com testemunha de mais fácil inquirição ou com requisição de informações e documentos à Petrobrás".

Segundo o juiz, "o objeto da ação penal é mais específico, não se perquire aqui os motivos do superfaturamento da refinaria Abreu e Lima, mas sim sobre a suposta lavagem de dinheiro no fluxo de numerário da Petrobrás até os depósitos na empresa MO Consultoria, conforme descrição da denúncia".

"De todo modo, a bem da ampla defesa, defiro a prova para a oitiva de tais testemunhas. Alerto, porém, que, cumulando a falta de necessidade da oitiva delas com a provável dificuldade de oitiva, aplicarei estritamente o artigo 222 do Código de Processo Penal, no que se refere aos prazos das precatórias."

Quando Paulo Roberto Costa arrolou Eduardo Campos como testemunha de defesa, a assessoria do candidato presidencial declarou. "Acreditamos que quem está mais capacitado para falar da atuação de Paulo Roberto Costa na Petrobras são as pessoas que o nomearam e o mantiveram no cargo." Em março passado, Campos disse que conhece o ex-diretor da Petrobras.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.