Florence: “De jeito nenhum [Dilma será rainha da Inglaterra com a nomeação de Lula para a Casa Civil]”. | FABIO RODRIGUES POZZEBOM / AB
r
Florence: “De jeito nenhum [Dilma será rainha da Inglaterra com a nomeação de Lula para a Casa Civil]”.| Foto: FABIO RODRIGUES POZZEBOM / AB r

Ao anunciar que o ex-presidente Lula tinha aceitado a indicação para se o novo ministro da casa Civil, o líder do PT na Câmara, Afonso Florence (BA) rechaçou que a nomeação tenha por propósito evitar as investigações da Operação Lava Jato contra ele conduzidas pelo juiz federal Sergio Moro, da 13.ª Vara da Justiça Federal do Paraná. Segundo Florence, Lula ajudará na superação da crise que o país enfrenta e medidas de recuperação econômica serão tomadas com celeridade. Florence afirmou que a presidente Dilma Rousseff, com o mandato que ganhou nas urnas, continuará governando.

“Houve um chamado de vários interlocutores da sociedade para que o presidente Lula aceitasse. Lula aceitou o convite para ajudar a presidente Dilma”, disse Florence. “Lula, como ministro da Casa Civil, continuará contribuindo com a investigações. As investigações continuarão.”

Rainha da Inglaterra

O deputado do PT ainda negou que Dilma vai se transformar em uma presidente decorativa, uma espécie de “Rainha da Inglaterra”, que só tem o título, mas não governa de fato. “A autoridade de governar o país é da presidenta Dilma e foi dada por mais de 50 milhões de brasileiros. De jeito nenhum [ela será rainha da Inglaterra]. É o oposto, não é jogar a toalha, ela exercerá seu mandato na plenitude, por isso a tentativa de golpe com o impeachment tem que ser rechaçada.”

O vice-líder do governo, Silvio Costa (PTdoB-PE), comemorou a indicação de Lula e avisou que, além dessa notícia, outras virão nas próximas horas, mudando o “xadrez” ministerial. Nos bastidores, há especulação de que Dilma fará novas mudanças no ministérios nas próximas horas, como tirar o ministro Aloizio Mercadante (Educação) da vaga, depois da publicização da gravação entre ele e um assessor do senador Delício Amaral, na qual Mercadante oferece ajuda.

“Eu sempre disse que 90% da crise estava localizada no Congresso. Hoje é um dia feliz para o Brasil. Já no ano passado eu defendia que Lula viesse para a articulação política”, disse Costa. “A sinergia entre Executivo e Legislativo vai aumentar. A oposição fala de forma irresponsável que é intervenção no governo da Dilma, mas não é. E que Lula está preocupado em garantir foro privilegiado, o que também não é verdade.”

Atraso

Para líderes da base aliada, a ida de Lula para o governo já veio tarde. Para muitos, se isso tivesse ocorrido há quatro meses, a crise política não estaria tão acirrada. Para Florence, no entanto, Lula ajudará o país a sair da crise e também em evitar o impeachment de Dilma no Congresso Nacional: “Certamente a ida de Lula para o ministério irá ajudar não só no impeachment, que não se sustenta. Lula é o brasileiro mais investigado da história do Brasil. Lula vem para contribuir para saída da crise e há sinais de que a economia pode melhorar”.

Florence disse não temer que as ações populares apresentadas pela oposição para evitar que Lula tome posse como ministro prosperem: “A oposição tem direito de nomear ministros, mas tem que ganhar a eleição primeiro. Para barrar ministros a oposição tem que primeiro ganhar a eleição”.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]