Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Morre o ex-deputado federal Norton Macedo

Perda

Morre o ex-deputado federal Norton Macedo

Ele estava internado na UTI do Hospital Santa Cruz por causa de problemas cardíacos. Velório acontece na Capela Vaticano

  • Fernanda Trisotto
  • Atualizado em às
O ex-deputado federal Norton Macedo morreu aos 74 anos |
O ex-deputado federal Norton Macedo morreu aos 74 anos
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O ex-deputado federal Norton Macedo Correia, de 74 anos, morreu no início da manhã desta quinta-feira (5), em Curitiba. Além da atuação parlamentar, ele foi assessor do governador Ney Braga em seu primeiro mandato no Paraná.

Macedo Correia estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Santa Cruz, por causa de problemas cardíacos. Ele já estava doente há algum tempo e o quadro de saúde se agravou nos últimos seis meses.

Seu corpo foi velado na Capela Vaticano, na tarde desta quinta, na Sala Rubi. Uma cerimônia de cremação estava marcada para as 17 horas, mas seria reservada aos familiares.

Perfil

O curitibano Norton Macedo Correia era advogado, formado pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), e funcionário público. Ele foi deputado federal por três mandatos. Entre 1975 e 1983, era filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), um partido político que apoiava o governo militar. No terceiro mandato, de 1983 a 1987, era representante do Partido Democrático Social (PDS), que deu continuidade a Arena após a abertura política no Brasil.

Macedo Correia foi vice-líder da Arena, em 1979, e vice-líder do Bloco Democrático Social, em 1980. Ele também manteve cargos de representatividade dentro do partido. A partir de 1985, ele se filiou ao Partido da Frente Liberal (PFL), formado após uma dissidência do PDS.

Além de atuar na Câmara Federal, Macedo Correia foi chefe de gabinete da Secretaria do Interior e Justiça e Secretário do Governador do Estado do Paraná, entre 1961 e 1965, durante o primeiro governo de Ney Braga. Ele voltou a ser assessor do Governador do Paraná entre 1971 e 1973, quando o cargo era ocupado por Pedro Viriato Parigot de Souza. Entre 1994 e 1995, foi presidente do Banco do Estado do Paraná (Banestado) e dos seus conselhos de administração.

Lembrança

O senador Alvaro Dias lamentou a morte de Macedo Correia por meio de sua conta no microblog Twitter. Para Dias, Macedo foi um dos parlamentares mais preparados que o Paraná já teve. O senador lamentou o que considerou um desperdício de talento: o isolamento de uma cabeça privilegiada como a do ex-deputado federal. Dias teria recebido uma ligação de Macedo Correia, que queria conversar e sugerir coisas ao senador.

Dias ainda lembrou que Macedo Correia foi um leal companheiro do ex-governador Ney Braga na política durante muitos anos. O senador também disse que vai apresentar voto de pesar no Senado Federal na tarde desta quinta-feira.

O ex-governador e candidato ao senado Roberto Requião também usou o microblog para lamentar a morte de Macedo Correia. "A morte do intelectual Norton Macedo é perda grande para o nosso Paraná", escreveu Requião. O senador Osmar Dias, que concorre ao cargo de governador do estado, afirmou em sua conta do Twitter que o Paraná perdeu um homem público de muitas qualidades.

Para o ex-governador do Paraná, Jaime Lerner, Macedo foi uma personalidade pública exemplo de retidão, dignidade e coerência. “Tive a alegria e o prazer de conviver com ele e ser amigo dele. Sempre com um papo inteligente, o Norton foi um dos raros homens públicos coerentes e que não abria mão dos seus princípios”, declarou. Lerner ainda destacou a integridade e sinceridade do ex-deputado e afirmou que Macedo “não perdoava a falta de caráter”.

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE