Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

Em resposta ao discurso de apoio à realização de novas eleições antes de 2018, proferido no domingo (5) por integrantes do PSDB durante a convenção nacional do partido, grupos ligados aos movimentos sociais e sindicais publicaram nesta segunda-feira (6) um manifesto contra a “interrupção da legalidade democrática”.

A carta com sete tópicos é assinada por várias entidades, como a Comissão Pastoral da Terra, Movimento dos Sem Terra (MST) e Federação Única dos Petroleiros, além de parlamentares petistas e personalidades como o jurista Fábio Konder Comparato. “Não aceitaremos a quebra da legalidade democrática, sob que pretexto for”, diz o primeiro item. “Consideramos inaceitável e nos insurgimos contra as reiteradas tentativas de setores da oposição e do oligopólio da mídia, que buscam criar, através de procedimentos ilegais, pretextos artificiais para a interrupção da legalidade democrática”, afirma o texto, que também faz críticas ao ajuste fiscal.

O presidente nacional do PT, Rui Falcão, utilizou o Twitter ontem para defender o governo. “Perderam no voto, agora querem ganhar no tapetão. Fora, golpistas! Democracia neles”, escreveu.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]