Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr
| Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / ABr

A Câmara dos Deputados irá manter o recesso branco até o fim da eleição em segundo turno, no dia 31 de outubro. A decisão foi tomada ontem em reunião de líderes que contou com a participação de representantes da maioria dos partidos da Casa. O encontro foi presidido pelo vice-presidente da Câmara, Marco Maia (foto acima, PT-RS), que afirmou que todos os líderes concordaram com a proposta. "Todos estão conectados, envolvidos com o segundo turno presidencial e as eleições para o governo de alguns estados." A reunião de líderes foi muito rápida e a maioria deles mandou deputados representantes ao encontro. Um dos poucos líderes titulares presentes, o tucano João Maia (BA), concordou com a tese apresentada pelos representantes da base aliada ao governo Lula: "É uma imposição da realidade".

Aliás...

A eleição termina no dia 31 de outubro, mas na semana seguinte já haverá o feriado de Finados, na terça-feira, dia 2. Isso significa que só a partir do dia 3 de novembro a Câmara dos Deputados poderá se reunir de novo para retomar as votações.

Corta

Entrevistado ontem pelo jornalista Carlos Alberto Sardenberg no programa CBN Brasil, da Rádio CBN, o governador eleito do Paraná, Beto Richa, exagerou no discurso favorável ao presidenciável tucano José Serra. A certa altura, quando dizia que Serra "é o mais preparado" para governar o país, Richa foi interrompido pelo âncora. "Governador, só que a propaganda eleitoral ainda não começou", cortou Sardenberg.

Tiros de alegria

Uma mulher de 65 anos e sem antecedentes criminais passou a noite de domingo presa na cadeia pública de Laranjeiras do Sul por comemorar a vitória de Beto Richa (PSDB) com tiros de revólver. Rosa Calazans Costa Conrado foi detida pela PM de Marquinho, na região central do Paraná, com um revólver calibre 32. A arma foi apreendida. Na segunda-feira, por decisão judicial, ela foi solta e vai responder ao processo em liberdade.

Inimiga íntima

A cunhada do presidente Lula, a assessora política Teresa Otília Casa, única irmã da primeira-dama Marisa Letícia, anunciou ontem que votou em José Serra (PSDB) no primeiro turno da eleição presidencial. Filiada ao PSB, Teresa disse ter votado no tucano e espera que ele vença a petista Dilma Rousseff na eleição de 31 de outubro. "A Dilma não é nada preparada." A cunhada de Lula disse ter deixado o PT em 1988 porque não gostava de atitudes de "pessoas pobres que começavam a chegar ao poder".

Muito azar (foto 1)

A deputada federal Luciana Genro (PSol-RS, foto) vive um momento inusitado. Ela recebeu 129,5 mil votos, mas não conseguiu se reeleger. Tudo por causa das eleições proporcionais. Luciana perdeu a vaga para adversários que tiveram menos de 30 mil votos. Para piorar a situação da deputada gaúcha, o pai dela, o ex-ministro Tarso Genro (PT), foi eleito governador do Rio Grande do Sul e, com isso, ela fica inelegível por quatro anos. A legislação eleitoral proíbe que parentes até segundo grau de ocupantes de cargos públicos possam concorrer numa eleição. Luciana pôde concorrer na eleição de domingo porque buscava a reeleição.

Pinga-fogo

"O PSDB agiu articulado com o governo Lula para me derrotar."

Heloísa Helena, candidata do PSol derrotada na eleição para o Senado em Alagoas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]