Brasília - Em meio à pressão de integrantes do DEM para a expulsão do governador José Roberto Arruda do partido, o relator do caso dentro da legenda, o ex-deputado José Thomaz Nonô, disse ontem que vai fazer um julgamento político. A declaração foi interpretada como um forte indicativo de que Arruda deve recomendar a expulsão dele do DEM porque, mesmo que ele apresente argumentos sólidos a seu favor, já haveria um clima político desfavorável à permanência do governador no partido. Apesar disso, Nonô negou que já tenha decidido pelo exclusão do governador dos quadros partidários.

O relator disse também que não vai solicitar perícias no vídeo que mostra Arruda recebendo dinheiro do suposto esquema de mensalão do DEM. Mas afirmou que vai ler com detalhe a defesa do governador para confrontá-la com as provas reunidas no processo contra Arruda. "Eu não preciso de diligência nenhuma. Uma coisa que me causa aversão é a procrastinação. Essas coisas têm de ser feitas no tempo justo. Não vou ouvi-lo. Vou ver o que ele está dizendo e confrontar com o resto", afirmou.

Sétimo e oitavo pedido

O PSB protocolou ontem na Câmara do Distrito Federal mais um pedido de impeachment do governador José Roberto Arruda (DEM). O PT também ingressou com outro, logo depois. Com os dois novos processo protocolados, Arruda já acumula oito pedidos de impeachment.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]