i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Palocci afirma que não indicou presidência da Sete Brasil

    • Estadão Conteúdo
    • 21/10/2015 18:34
    Palocci foi coordenador da campanha da presidente Dilma Rousseff, em 2010, e ocupava em 2011 cargo de ministro-chefe da Casa Civil | RM/TY/RICARDO MORAES
    Palocci foi coordenador da campanha da presidente Dilma Rousseff, em 2010, e ocupava em 2011 cargo de ministro-chefe da Casa Civil| Foto: RM/TY/RICARDO MORAES

    O ex-ministro Antonio Palocci rechaçou com veemência nesta quarta-feira, 21, versão de que teria indicado nome para a presidência da empresa Sete Brasil, criada pela Petrobras em parceria com bancos e fundos de pensão federal. Por meio de nota divulgada por sua assessoria de imprensa, Palocci classificou de “equivocadas” notícias que envolvem seu nome.

    Em delação premiada na Procuradoria-Geral da República, Fernando Antonio Falcão Soares, o Fernando Baiano, apontado como operador de propinas do PMDB, afirmou que decidiu buscar a ajuda do pecuarista José Carlos Bumlai - amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com livre acesso ao Planalto - em contratos de navios-sonda para o grupo do empresário Eike Batista, “por sua relação com ex-ministro Antonio Palocci”.

    Palocci foi coordenador da campanha da presidente Dilma Rousseff, em 2010, e ocupava em 2011 cargo de ministro-chefe da Casa Civil. “Em razão da relação entre Antonio Palocci e Bumlai”, o operador do PMDB diz ter ligado para o pecuarista no primeiro semestre de 2011 e marcado um encontro no escritório dele em São Paulo, para tentar abrir portas para a empresa de Eike Batista na Sete Brasil.

    Palocci refuta enfaticamente ter intercedido na nomeação do presidente da Sete Brasil. O ex-ministro de Lula e Dilma afirmou que “desconhece o assunto mencionado” na reportagem publicada pelo jornal O Estado de S.Paulo a partir da delação de Baiano.

    “Em nenhum momento foi procurado por quem quer que seja para tratar de assuntos relativos a interesses da OGX na Sete Brasil”, assinala Antonio Palocci. Ele destacou que cabe aos acionistas da Sete Brasil indicar a presidência da empresa.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

      Receba Nossas Notícias

      Receba nossas newsletters

      Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

      Receba nossas notícias no celular

      WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

      Comentários [ 0 ]

      O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.