Deltan Dallagnol | Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Deltan Dallagnol| Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O procurador da República Deltan Dallagnol, da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, acusou nesta quarta-feira (16) “lideranças partidárias” na Câmara por “manobras” de última hora para substituir os deputados da comissão que “votariam” a favor da proposta das “Dez Medidas Contra a Corrupção”, do Ministério Público Federal (MPF).

“Isso é um desrespeito com os mais de 2 milhões de brasileiros que assinaram o projeto de iniciativa popular. É um desrespeito com os 200 milhões de brasileiros que querem um processo de discussão e aperfeiçoamento legítimo no Legislativo”, afirmou o procurador em seu perfil oficial no Facebook lembrando que os parlamentares do colegiado já ouviram mais de 100 pessoas sobre o tema.

Manifestantes invadem o plenário da Câmara dos Deputados

Leia a matéria completa

“Não é possível simplesmente trocá-los (os deputados). Sentindo-me profundamente desrespeitado, como cidadão #10medidas”, conclui o procurador, que não citou nome de nenhum político nem de partidos.

A proposta “Dez Medidas” foi lançada pelo Ministério Público Federal na esteira das investigações da Operação Lava Jato, maior operação de combate à corrupção do país iniciada em 2014 e que atinge deputados, senadores, ex-governadores e ex-parlamentares dos principais partidos.

A meta inicial do projeto 10 Medidas era a adesão de 1,5 milhão de assinaturas em apoio às propostas para reforçar o combate a desvios de recursos públicos e fraudes contra o Tesouro.

Com incentivo de 2 milhões de assinaturas, as sugestões de alteração legislativa foram entregues ao Congresso em forma de projeto de lei de iniciativa popular, a exemplo do que ocorreu com a Lei da Ficha Limpa.

Confira a manifestação de Dallagnol no Facebook

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]