i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Senado

PT vai conversar com Sarney antes de decidir sobre licenciamento

Parlamentares decidiram marcar audiência com o presidente nesta quarta. Só depois é que o partido deve resolver posição sobre afastamento

  • PorG1/Globo.com
  • 01/07/2009 06:09

Depois de passar o dia em silêncio sobre o licenciamento de José Sarney (PMDB-AP) da presidência do Senado, a bancada do PT decidiu anunciar apenas nesta quarta-feira (1) se vai apoiar o afastamento do presidente ou se vai defender a sua manutenção no comando da Casa.

Depois de duas horas de reunião, já no final da noite desta terça, o líder do PT, Aloizio Mercadante (SP), disse que os integrantes da bancada preferiram marcar uma audiência com Sarney nesta quarta, para apresentar um conjunto de propostas de reforma administrativa ao presidente. Dependendo do que for tratado nesse encontro, o PT irá anunciar a sua posição sobre o licenciamento de Sarney.

"Adotamos uma decisão coletiva de procurar o presidente Sarney para fazer recomendações e expor as angústias do partido. Só depois vamos nos pronunciar sobre a condição do presidente na Casa", afirmou Mercadante.

Mercandante informou que o partido vai propor a Sarney a criação de uma comissão com representantes dos partidos e funcionários da Casa para coordenar uma ampla reforma administrativa. "Queremos promover uma Lei de Responsabilidade Fiscal no Senado para fazer uma reforma profunda da instituição", disse o líder petista.

A posição de Sarney em relação a essa comissão poderá ser condicionante para a adesão petista à manutenção do presidente no cargo.

Na tarde desta terça-feira (30), pouco depois de a bancada do DEM confirmar o apoio ao licenciamento do presidente do Senado, a líder do governo no Congresso, senadora Ideli Salvatti (PT-SC), foi a primeira petista a sair em defesa do colega.

Discursando no plenário da Casa, a senadora condenou a personalização da crise do Senado. "O que está vindo a público é coisa que tem muito tempo, não é nada recente, é muito antigo. E tudo tem muitas mãos, tem a participação de muitos", argumentou Ideli.

Ela defendeu Sarney alegando que o colega adotou todas as providências que foram propostas pelos outros parlamentares. "Eu vou defender na bancada que nenhuma medida pode ser adotada contra qualquer um dos senadores", afirmou, referindo-se à reunião da bancada do PT que deve ocorrer por volta das 19h desta terça.

Ideli ainda criticou o que chamou de "tendência de se personalizar ou partidarizar" a crise no Senado. Para a senadora, uma abordagem que "personalize a crise, forçando-se para que determinada pessoa se afaste", não resolverá o problema, além de ser "injusta".

"Ninguém pode ser acusado, afastado, antes que as investigações sejam concluídas. Senão não vamos resolver nada. Continuaremos lendo essas matérias [de denúncias] até que o Senado se inviabilize", declarou a petista.

Adotando o discurso utilizado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a senadora disse que as denúncias têm impedido que se debatam assuntos mais importantes para o país.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.