i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Caso Banestado

Requião pede a Sarney pressa na votação do fim da multa

  • PorDa Redação
  • 04/03/2009 21:04

O governador Roberto Requião (PMDB) se reuniu ontem com lideranças políticas do Senado, em Brasília, para pedir pressa na votação do projeto de resolução que acaba com a multa mensal de R$ 5 milhões cobrada do Paraná pela União devido ao descumprimento do acordo de venda do Banestado para o Itaú, em 2000. O governo federal, por meio da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), vinculada ao Ministério da Fazenda, já cobrou pelo menos R$ 240 milhões do estado devido ao descumprimento do contrato.

Requião se reuniu com o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), a quem fez o pedido para priorizar a votação do projeto de resolução, de autoria do senador Osmar Dias (PDT-PR). Depois do encontro com Sarney, o governador ainda conversou com o relator do projeto na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), senador Antônio Carlos Magalhães Júnior (DEM-BA); com o presidente da CCJ, Demóstenes Torres (DEM-GO); com o líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL); e com o senador Aloízio Mercadante (PT-SP).

Um projeto de resolução semelhante, que acabava com a multa da STN, havia sido aprovado pelo Senado em dezembro de 2007. Mas o governo federal alegou que o texto do projeto continha ilegalidades. Por isso a União descumpriu a resolução e continua cobrando a multa – que na verdade é uma retenção de recursos que deveriam ser repassados ao Paraná pelo Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.