i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
lava jato

Richa aparece em duas situações suspeitas envolvendo a Odebrecht

Governador está na nova lista de Janot. Autorização para abertura de inquérito será analisada pelo STJ

  • PorKelli Kadanus
  • 16/03/2017 16:03
Beto Richa: doações de cervejaria laranja  da Odebrecht na eleição de 2010. | Henry Milleo/Gazeta do Povo
Beto Richa: doações de cervejaria laranja da Odebrecht na eleição de 2010.| Foto: Henry Milleo/Gazeta do Povo

Os motivos que levaram o procurador-geral de Justiça, Rodrigo Janot, a solicitar abertura de inquérito contra o o governador Beto Richa (PSDB) no âmbito da Lava Jato ainda são desconhecidos, mas em pelo menos dois episódios o nome do tucano apareceu em situação suspeita relacionada à Odebrecht. O nome de Richa está na nova lista de políticos encaminhada por Janot ao Supremo Tribunal Federal na terça-feira (15). Como casos envolvendo governadores são julgados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), o pedido de Janot em relação a Richa será analisado pelo tribunal, junto com o de outros governadores.

Nesta quinta-feira (16), Richa falou pela primeira vez sobre o caso. Em entrevista coletiva, se disse “absolutamente tranquilo” e negou que a suas campanhas tenham recebido qualquer doação da Odebrecht. De fato, a empreiteira não aparece em nenhuma das prestações de contas oficiais das campanhas de Richa de 2010 ou 2014. Porém, Richa está entre os políticos citados em planilha apreendida no ano passado pela Polícia Federal na Operação Xepa, 26.ª fase da Lava Jato, no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. Segundo a PF, esse seria o departamento responsável pelo pagamento de propina a agentes públicos e políticos.

Cervejaria laranja fez doações para o PSDB do Paraná

A referência ao governador do Paraná na planilha aparece em um pagamento para as eleições de 2010. No campo “nome do candidato” consta PSDB – Diretório Estadual do PR. Como beneficiário está o nome de Beto Richa. Há dois campos financeiros – “valor” (R$ 200 mil) e “pagamento” (R$ 160 mil) – e a indicação de uma data de pagamento, 24 de setembro de 2010.

Não há registro de doações da Odebrecht a Richa ou ao Diretório do PSDB em 2010. Porém, ocorreram duas doações para o Diretório estadual do PSDB de cervejarias do Grupo Petrópolis – que seria laranja da empreiteira para repasses eleitorais, segundo depoimento de Marcelo Odebrecht ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – exatamente na data indicada e nos mesmo valores que constam na planilha da Odebrecht.

O Grupo Petrópolis recebeu benefícios fiscais de Richa para atuar no Paraná em 2014. A empresa conseguiu incluir três projetos industriais no programa Paraná Competitivo. Dois deles não vingaram e recentemente foram excluídos do programa, mas um ainda recebe os benefícios.

O projeto em vigor é referente ao arrendamento e reativação de duas unidades de processamento de soja da Imcopa – uma em Araucária e outra em Cambé. Procurada pela Gazeta do Povo no início de março, a Secretaria de Estado da Fazenda informou que o projeto referente à Imcopa está em operação e que a empresa está sendo beneficiada pelos incentivos do Paraná Competitivo acertados no contrato de adesão ao programa.

Currículo de Richa foi compartilhado por secretária de Odebrecht

O nome de Richa também já havia aparecido em outro contexto nas investigações da Lava Jato. O tucano teve o nome mencionado em três e-mails trocados durante a campanha de 2010 entre a secretária-executiva do empreiteiro Marcelo Odebrecht, Darci Luz, e as secretárias de presidentes de três grandes empresas: Gerdau, Bunge e Suzano. No intervalo de 16 dias, a campanha de Richa recebeu R$ 580 mil reais das empresas que receberam os e-mails da secretária de Marcelo Odebrecht.

Enviados no dia 9 de agosto de 2010, ano em que Beto Richa concorreu pela primeira vez ao governo do estado, os e-mails referentes ao atual governador continham o currículo dele, com informações que vão desde a formação acadêmica até ações da prefeitura de Curitiba no período em que comandou a capital. Na ocasião, Richa não governava o estado; era candidato ao Palácio Iguaçu. A secretária Darci afirma que as mensagens estavam sendo enviadas a pedido do próprio Marcelo Odebrecht.

Odebrecht no Paraná

As empresas que receberam e-mails com o currículo do governador, e a própria Odebrecht, têm interesses e negócios no Paraná. A Odebrecht, por exemplo, tem um investimento no Paraná com a construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, entre Capitão Leônidas Marques e Capanema, na região Oeste.

A empreiteira também encabeça o Consórcio Rota 323, responsável pela duplicação do trecho da rodovia PR-323 entre Paiçandu e Francisco Alves, no Noroeste do estado. A obra está envolvida em um imbróglio administrativo.

Em meio ao escândalo da Lava Jato, a Odebrecht não conseguiu financiamento para tocar o projeto e foi solicitado pelo consórcio para que a empreiteira saísse na composição da sociedade. Porém, com base em um parecer da Procuradoria-Geral do Estado, o conselho negou a mudança societária, mas até hoje não houve uma solução final para o caso. está parado e a rodovia se deteriora. A Odebrecht é responsável por 70% do consórcio.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.