i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
finanças

STF restabelece orçamento da Defensoria Pública

Liminar concedida pelo ministro Celso de Mello garante valor anual de R$ 140 mi. Governo estadual queria reduzir para R$ 43 mi

  • PorKatna Baran
  • 14/05/2015 22:00
Sede da Defensoria Pública do estado: órgão conseguiu na Justiça restabelecer o orçamento inicial. | Antônio More/Gazeta do Povo
Sede da Defensoria Pública do estado: órgão conseguiu na Justiça restabelecer o orçamento inicial.| Foto: Antônio More/Gazeta do Povo

O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu, na terça-feira (12), uma liminar garantindo o orçamento anual de R$ 140 milhões para a Defensoria Pública do Paraná. A decisão é a resposta à reclamação ajuizada pela Associação Nacional de Defensores Públicos (Anadep) sobre duas resoluções da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefa) que reduziam o orçamento da instituição para R$ 43 milhões por ano.

Orçamento de R$ 140 milhões

Uma liminar concedida ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), garantiu o orçamento inicial previsto para a Defensoria Pública do Paraná, no valor de R$ 140 milhões para este ano. Com problemas de caixa, o governo estadual pretendia reduzir a verba destinada à instituição consideravelmente, estipulando um orçamento anual de R$ 43 milhões.

O valor foi reduzido pelo governo do Paraná, pela primeira vez, pelo ajuste fiscal votado na Assembleia Legislativa no fim de 2014, o que permitiu o remanejamento de R$ 90 milhões do orçamento das secretarias estaduais, deixando a instituição com R$ 50 milhões. Em janeiro, o STF concedeu uma liminar à Anadep para restabelecer o orçamento inicial, mas a Sefa voltou a cortar o montante com a edição das resoluções, estipulando a dotação de R$ 43 milhões.

Justiça e Direito: Por que precisamos da defensoria pública no Paraná

Na nova reclamação, a associação alega que as resoluções da Sefa “representam intervenção descabida sobre os recursos financeiros assegurados à Defensoria Pública” pelo Supremo, pois determinam repasse ao órgão “em quantias substancialmente inferiores àquelas previstas” na Lei Orçamentária de 2015. A Anadep alega também que as normas submetem a execução orçamentária da Defensoria Pública aos critérios estabelecidos pelo Executivo estadual.

“A conclusão que se tem é que o governo trata a Defensoria como uma Secretaria de Estado, enquanto é uma entidade autônoma, não possui gerência do Executivo. O remanejamento de recursos pode, sim, ser feito dentro das áreas governamentais, mas não sobre a Defensoria, assim como ocorre com os recursos do Ministério Público e do Judiciário”, explica a presidente da Associação Paranaense dos Defensores Públicos (Adepar), Thaisa Oliveira.

Procurada, a assessoria da Secretaria Estadual da Fazenda informou que o governo estadual irá, por meio da procuradoria estadual, recorrer da liminar no STF.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.