Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) desmembrou nesta quarta-feira (5) o inquérito que apura as denúncias da Operação Caixa de Pandora, feita em 2009 no Distrito Federal. O escândalo envolvendo desvio de dinheiro público e pagamento de propina entre integrantes do Executivo e do Legislativo local resultou na saída do então governador José Roberto Arruda e de seu vice, Paulo Octávio. Com uma questão de ordem levantada nesta tarde pelo relator Arnaldo Esteves Lima, os ministros entenderam que somente o investigado com prerrogativa de foro deveria ser julgado pelo tribunal. Trata-se do integrante do Tribunal de Contas do Distrito Federal, Domingos Lamoglia. Os outros 36 acusados, entre eles Arruda e Paulo Octávio, deverão ser julgados na Justiça de primeiro grau.

A Operação Caixa de Pandora apurou esquema de compra de apoio parlamentar na Assembleia Legislativa do Distrito Federal que ficou conhecido como Mensalão do DEM (partido do governador à época). Os acusados são acusados dos crimes de formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]