• Carregando...

Eudes Dallagnol (PP), vereador de Toledo, no Oeste do Paraná, foi preso em flagrante na madrugada deste domingo (14) por tentativa de compra de votos para a eleição da Mesa Executiva da Câmara. Ele ofereceu R$ 10 mil ao colega Neudi Mosconi (SD) para que ele votasse no candidato à presidência Gian de Conto (PPS). A votação será nesta segunda-feira (15).

A prisão foi efetuada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público (MP). A assessoria de imprensa do órgão informou que a fiança já havia sido arbitrada.

Prisão

No sábado (13), Mosconi recebeu uma ligação de Dallagnol falando da oferta, e acionou o Gaeco. O grupo colocou escutas e câmeras dentro da casa do vereador, que recebeu o intermediário e o próprio candidato na mesma noite. Na reunião, Dallagnol ofereceu R$ 10 mil e disse, ainda, que outros sete vereadores já tinham aceitado proposta semelhante.

O vereador do PP foi preso em flagrante e encaminhado à delegacia de Toledo. De Conto, que havia deixado a casa de Mosconi antes do final da reunião, não foi preso porque não se configurou o flagrante. Ele se apresentou à Polícia Civil para esclarecimentos e foi liberado logo depois. O Gaeco informou que será aberto um inquérito para investigar o caso.

Em entrevista ao site G1, o advogado de Dallagnol, Delmar Hoffmann, declarou que a fiança já havia sido paga e que seu cliente deveria ser liberado ainda neste domingo. Ele disse, também, que não teve acesso às gravações e que seu cliente não tem interesse na eleição do colega.

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]