Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Calorão exige cuidados no passeio com os cães

Evitar os horários de maior calor, oferecer muita água fresca e saber entender os sinais clínicos da desidratação e insolação é essencial

calor cachorro viver bem gazeta do povo

Com dias ensolarados e temperaturas que facilmente atingem os 30ºC, o calor não deu trégua em Curitiba, prolongando a sensação de verão nestes primeiros dias de outono. Para quem tem animais de estimação e gosta de sair com os bichinhos, certas recomendações são essenciais para manter a segurança e conforto do passeio.

O horário escolhido para os passeios é a primeira observação, segundo o médico veterinário Ricardo Rodrigues Cabral, da Vetnil. “No início da manhã e no final da tarde a temperatura é mais amena e o sol mais brando“, orienta. Quando sentem muito calor, cachorros colocam a língua para fora da boca e passam a respirar de modo acelerado. Esse mecanismo não é tão bom quando a evaporação do suor (cães não têm glândulas sudoríparas) e faz com que os animais sejam mais sensíveis ao calor do ambiente do que nós.

Em casos extremos de exposição ao calor, o animal pode apresentar sintomas como dificuldade de caminhar, tremores musculares, excesso de salivação, respiração muito ofegante, vômitos e batimentos cardíacos acelerados. “Estes são sintomas de insolação e desidratação, que podem evoluir para alterações mais graves como falência renal e óbito, caso o animal não seja atendido”, explica o veterinário.

Em situações emergenciais deve-se pegar o animal no colo para evitar o esforço, retirá-lo do calor e oferecer água. Molhar o pelo com água fresca e usar bolsas de gelo são técnicas para baixar a temperatura corporal. Entretanto, o processo deve ser feito aos poucos para evitar outras complicações. Procurar atendimento profissional logo em seguida é fundamental, pois o animal pode precisar de fluidoterapia dependendo da intensidade da desidratação.

Água

O médico veterinário comenta que não existe consenso sobre a quantidade de água que deve ser ingerida diariamente pelos cães. Algumas literaturas citam, no entanto, que o animal deve ingerir cerca de 100 ml de água por kg de peso corporal. Em um cachorro de 10kg, por exemplo, isso significa aproximadamente 1 litro de água. Então, manter água fresca disponível durante todo o dia é fundamental. Outra maneira de aumentar a ingestão hídrica é oferecer frutas e legumes como petiscos.

LEIA TAMBÉM:

>>> Frutas estão liberadas para cães, mas os gatos devem ficar longe

>>> Cães doadores de sangue ajudam a salvar vidas

>>> Onde passear com cachorros em várias cidades

Suplementos

O aumento da frequência respiratória dos animais em dias de calor também eleva o stress oxidativo. Suplementos que contenham grandes quantidades de antioxidantes como vitaminas E e C, betacaroteno e luteína podem ser indicados pelo médico veterinário.

Piscinas

Piscinas também são ideais em dias quentes e ensolarados, já que os cachorros adoram a brincadeira. Os cuidados devem ser apenas para evitar situações que apresentem risco de afogamento.

Campeões de sensibilidade

Todos os cães, de maneira geral, são bem sensíveis ao calor excessivo, já que seu mecanismo de perda de calor não é tão eficiente. Algumas raças são ainda mais suscetíveis às variações de temperatura. Cães de grande porte como os Dogue Alemães, Labradores, Golden Retrievers e Bernese Mountain Dog têm mais dificuldade em perder calor, pois têm mais massa muscular.

Raças braquicefálicas (de focinho curto), como Shih Tzu, Pug, Bulldog Francês, Bulldog Inglês e Boxer, por razões anatômicas já costumam apresentar dificuldades respiratórias. Quando associados, esforço e altas temperaturas tornam ainda mais difícil conciliar o mecanismo de perda de calor com a respiração em si.

8 recomendações para você

Deixe seu comentário