Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

8 verdades e 4 mitos sobre a castração dos pets

A esterilização de cães e gatos é importante para o controle populacional e para a saúde dos animais

Ao narrar o comportamento da cadela no cio, youtuber foi criticada por glamourizar a cruza desenfreada. (Foto: reprodução/You Tube.)

A youtuber Jout Jout, que faz sucesso internet afora com seu canal Jout Jout Prazer, provocou uma polêmica em torno da vida reprodutiva animal na última quinta-feira (30). No vídeo “Explicando ausências”, a celebridade virtual justificou de forma bem humorada o porquê de sua cadela Margot não estar participando do canal no You Tube ultimamente.

No cio, Margot passa os dias cruzando e ganindo, contou Jout Jout. Assista abaixo:

A repercussão foi grande, impulsionada principalmente por pessoas envolvidas com a causa da proteção animal. Muitos internautas alertaram para a importância da castração – procedimento de retirada dos testículos dos machos e dos ovários e do útero das fêmeas –, tanto para o controle populacional quanto para a saúde dos pets.

A youtuber, criticada por glamourizar a cruza desenfreada, retratou-se e agradeceu aos seguidores pelos “toques”. Ela afirmou que só não castrou a cachorra por medo de ela morrer no processo.

jout jout

A youtuber se retratou e agradeceu aos seguidores pelo alerta. (Foto: reprodução/Facebook.)

O episódio ilustra como o tema da castração ainda é tabu para muitos donos de animais. A esterilização ainda é vista como um ato cruel, que privaria o pet de sua vida sexual. Há quem tenha medo que o seu cão ou gato sofra com o procedimento.

Em entrevista ao Viver Bem, os médicos veterinários Simone Guérios, professora da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Thiago Sillas, cirurgião oncologista, e Marúcia de Andrade Cruz, da clínica Mania de Gato, explicaram os benefícios da castração e desmistificaram as inverdades relacionadas ao tema. Confira:

Verdades

1. A castração diminui a incidência de câncer nas fêmeas

“Nas cadelas não castradas, a incidência de câncer de mama é de 26%. Se castradas antes do primeiro cio, a incidência cai para 0,5%”, explica Sillas. Já nas gatas, a castração antes dos seis meses de vida previne 90% dos tumores de mama.

2. É melhor castrar antes da puberdade

A maioria destes benefícios só está garantida quando o procedimento é realizado antes da puberdade. “Após dois anos de idade, a castração de fêmeas não protege contra o câncer e infecções no útero, mas interrompe alguns processos do cio, como o sangramento”, afirma Simone.

3. Miados desenfreados e agitação podem ser reduzidos

A necessidade de reprodução pode deixar os cães mais agitados e fazer com que as gatas miem demais durante as madrugadas. “Estes comportamentos costumam incomodar os donos e, com a castração, eles deixam de ser repetidos”, diz Marúcia. Em animais já adultos, a cirurgia não interrompe as manias de demarcação e de fugas noturnas, por isso é recomendável que o procedimento seja feito antes que eles criem esses hábitos.

4. A esterilização é recomendada em qualquer idade

Não há limite de idade para que um animal possa ser castrado. A única diferença é que, antes da cirurgia, pets idosos precisam passar por um check-up mais detalhado, além de fazer os exames de sangue. “O animal idoso é castrado para o tratamento de doenças hormonais que podem ser evitadas e até curadas após a cirurgia, como câncer de próstata e de testículos”, indica Simone Guérios.

5. O procedimento não é perigoso

Os veterinários tranquilizam os donos que temem pela vida de seus bichos dentro de um centro cirúrgico: o procedimento nas fêmeas é feito com apenas um pequeno corte no abdômen e nos machos é mais superficial, pois não invade a cavidade abdominal. “No primeiro dia, eles podem ficar mais abatidos, mas depois já mostram a mesma disposição. A recuperação é boa e, em sete dias, os pontos podem ser retirados”, explica Sillas.

6. Animais castrados precocemente não demarcam território

As rodas dos carros e os postes deixam de ser alvos preferenciais. No entanto, se um animal aprendeu a fazer suas necessidades desta forma e é castrado já adulto, o comportamento permanece.

7. Os gatos deixam de se envolver em brigas

Aqueles acostumados a escapulidas noturnas continuam com os mesmos hábitos, mas esses passeios se tornam mais seguros, pois o animal não vai mais lutar por uma fêmea ou por um macho.

8. Mesmo castrado, o animal pode apresentar necessidades sexuais

As fêmeas podem ter pequenos sangramentos e alguns machos podem apresentar libido e tentar cruzar, pois o cérebro continua a ser estimulado mesmo com a baixa produção hormonal – insuficiente para que ele tenha uma ereção.

Mitos

1. Os pets engordam após a castração

O problema não é a cirurgia, mas a falta de exercícios físicos. Castrados, os animais não se preocupam mais em gastar energias diante de uma fêmea ou à procura de um macho. Caminhadas e brincadeiras são alternativas para gastar energia.

2. Bichos castrados ficam mais preguiçosos e desanimados

A diminuição de energia é normal durante a vida. Um filhote castrado pode ser tão animado quanto um não castrado.

3. Depois de castrado, um animal agressivo fica manso

A personalidade do pet não será transformada. O que evita o comportamento violento é a educação recebida desde filhote. A vantagem é que a cirurgia pode evitar comportamentos sexuais constrangedores.

4. O procedimento traumatiza o animal e o deixa mais arredio.

A cirurgia é feita com anestesia geral, assim o pet não sente dor. A recuperação é rápida e no dia seguinte eles estão animados como antes, mas é preciso cuidado para que não arranquem os pontos.

8 recomendações para você

Deixe seu comentário