Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Cachorro mimado também morde
| Foto:

Ter um cão ou gato é algo saudável para a vida em família, mas é preciso tomar alguns cuidados para que bebês e filhos pequenos não levem mordidas. Crianças, principalmente as menores, são muito expansivas e gostam de tocar e de aproximar ao rosto dos animais. Movimentos bruscos, como correrias, pulos e gritaria, podem excitar os cães, deixando-os mais propensos a comportamentos mais bruscos e agressivos. Puxões e beliscões causam dor nos animais, podendo gerar o comportamento de defesa, as mordidas. Os pais devem ensinar e ficar sempre de olho. Veja as dicas da Associação Americana de Pediatria, Gabriela Guida de Freitas, coordenadora nacional da Criança Segura e Fiocruz. Paulo Parreira, professor de Medicina Veterinária da PUCPR e Karina Grassi, coordenadora médica do Pronto-Socorro do Hospital Universitário Cajuru:

Situações

Qualquer cão pode morder em situações de medo, estresse, dor, dominância, defesa – do território, do dono ou dos filhotes. Cães não socializados ou criados de maneira incorreta, excessivamente mimados ou sem limites, oferecem maior risco. Cães de qualquer raça ou porte podem ser agressivos  e essa conduta não está relacionada apenas a algumas raças ou tipos de criação.

Violência à vista

Há condutas que podem deixar o cão mais agressivo: cães que ficam presos em corrente ou canil durante maior parte do tempo, animais que não foram socializados (com pessoas e outros animais) e educados, cães que são muito mimados e não tem limites bem definidos do que podem ou não fazer em casa, animais que sofrem maus tratos, animais doentes e com dor, fêmeas prenhes ou recém-paridas.

5 a 9 anos

Crianças nesta faixa etária são as maiores vítimas de mordidas de animais. As crianças de 9 a 14 anos de idade são o próximo na lista entre as vítimas de mordidas mais frequentes.

Local da mordida

Geralmente adultos apresentam lesões nas extremidades, principalmente mãos, já as crianças apresentam mais comumente lesões mais graves e na face. Além do trauma físico, deve-se ter a preocupação com as doenças infecciosas. Estas podem ser causadas por bactérias, fungos, vírus e outros agentes.

Pequenos ferimentos

As mordeduras são em grande parte causadas por cães, e 80% delas resultam em pequenos ferimentos, sem necessidade de atendimento de urgência. Apenas um em cada cinco pessoas que são mordidas por um cão requer atenção médica. Vítimas socorridas nas primeiras oito horas frequentemente não têm risco de infecção, desde que adequadamente atendidas.

Não esfregue muito

Todo ferimento deve ser avaliado por médico. Em caso de mordida de cachorro ou gato, recomenda-se procurar logo um posto de saúde para atendimento. Lave bem o local afetado com água e sabão, mas não esfregue e nem use esponjas ou panos, o que evita a entrada de agentes externos infecciosos.

 

LEIA TAMBÉM

Vômitos dos pets não devem ser negligenciados

Peixe betta é fácil de cuidar

Insuficiência renal atinge gatos

 

É vacinado?

Caso o cão pertença a um conhecido, questione o responsável sobre as vacinas e se possível leve uma cópia da carteira de vacinação do animal. O médico avaliará a necessidade ou não de vacinar a criança contra a raiva. Em geral, ele leva em conta a origem do bicho (se for cão de rua, por exemplo).

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]