À la Black Mirror, brasileiro usa enquetes na internet para tomar decisões

O roteirista Eduardo Albuquerque criou o experimento social no Instagram para mostrar a importância da democracia

Polling LifeEduardo Albuquerque transformou sua vida em uma enquete para mostrar aos usuários do Instagram o poder das decisões e as consequências que elas trazem. Foto: Arquivo Pessoal

Já pensou transformar sua vida em uma enquete com pessoas votando todos os dias no que querem que você coma, vista ou faça? O roteirista carioca Eduardo Albuquerque, de 34 anos, resolveu viver essa experiência. Desde o dia 2 de janeiro, ele posta dúvidas no Instagram e deixa seus seguidores decidirem por ele. A atividade inusitada já interferiu em detalhes do seu dia a dia, como horário de acordar, fazer a barba, cortar o cabelo e até o encorajou a passar um dia inteiro à base da dieta vegetariana e depilar o peito.

>>Para se comunicar com os adolescentes, esqueça as vogais e preste atenção neste glossário

Segundo ele, a brincadeira é, na verdade, um experimento social que mostra aos usuários o poder de suas decisões e as consequências que elas trazem. “Eu coloco minha individualidade em jogo para que eles percebam como é interessante ter voz e escolher coisas, principalmente em um momento como hoje em que muitos atacam a democracia”, afirma.

Para isso, o roteirista deixa os usuários que o seguem no Instagram – chamados por ele de “mestres” – controlarem a sua vida pelas enquetes disponibilizadas nos stories da rede social.

“É como se fosse uma partida de videogame. E, como poll significa enquete em inglês, decidi chamar esse jogo de Polling Life ou Vida de Enquete”, explica.

No entanto, não adianta apenas votar nas enquetes postadas diariamente. De acordo com Albuquerque, o objetivo de seus seguidores é fiscalizar se ele cumpriu o que prometeu durante o dia. Se nenhum “mestre” cobrar a realização das tarefas, todos perdem uma vida e o jogo pode acabar. “É um espelho da vida real que mostra as responsabilidades que vêm junto com o voto, da mesma maneira que ocorre quando escolhemos nossos governantes, pois precisamos fiscalizá-los”, pontua.

polling-life

O carioca possui a página Polling Life desde o dia 2 de janeiro e o jogo pode acabar a qualquer momento. Reprodução: Instagram

Ainda de acordo com ele, os mestres começaram com três vidas no jogo e, até a manhã desta segunda-feira (3), seguiam com duas. “Eles perderam uma no dia 22 de janeiro, quando eu coloquei um monte de decisões uma atrás da outra e, no final do dia, ninguém me cobrou a realização de tudo aquilo. Só ficaram votando”. Para Albuquerque, essa situação representante a realidade política na atualidade.

“Nossos governantes jogam um monte de informações diariamente para nos controlar, evitando nossa mobilização pelas coisas importantes. Então, minha ideia é mostrar no jogo a importância de verificar se essas promessas saíram do papel”, ressalta.

Além de usar as enquetes, o jovem também prepara um enigma semanalmente para seus seguidores desvendarem. O objetivo é localizar palavras soltas nos stories e montar frases que descrevam o experimento. “Eu chamo de manifesto Polling Life, que é um texto que eu fiz sobre a democracia e a forma que usamos as redes sociais sem pensamento crítico. Uma explicação do objetivo por trás do jogo”, afirma.

O início

Segundo ele, a ideia do Polling Life surgiu após assistir a trama Bandersnatch, novo filme da série Black Mirror que dá ao telespectador a chance de escolher os próximos passos do personagem. A chance de mudar o final da trama é possível por meio das ferramentas de interatividade disponíveis em Smart TVs, alguns videogames e aparelhos celulares com a versão mais recente do aplicativo Netflix.

“Eu estava em casa com alguns amigos assistindo esse filme e comentei que daria para fazer o mesmo usando o Instagram. Se eu quisesse, podia tomar decisões da minha vida usando as enquetes nos stories. Tudo de forma interativa”, relata o carioca.

polling-life

As enquetes abordam diversos âmbitos da sua vida e já fizeram até com Eduardo depilasse o peito. Foto: Arquivo Pessoal

Os amigos acharam a ideia divertida e o incentivaram a iniciar a brincadeira, que já conta com quase 3.500 mestres. De acordo com Albuquerque, as enquetes abordam diversos âmbitos da sua vida e já terminaram, inclusive, com ações sociais. “Eu podia ter sentado pelado em um balde de gelo, mas, graças ao voto dos mestres, fui pintar o muro de uma escola pública de Miami. Algo muito legal!”, afirma o carioca, que dedicou o dia 21 de janeiro a essa atividade.

Quem é Eduardo?

O roteirista e cineasta Eduardo Albuquerque nasceu no Rio de Janeiro, tem 34 anos, e se mudou para os Estados Unidos em 2016 para produzir um roteiro de filme a respeito de Orlando, na Flórida. “Eu precisava pesquisar. Então, viemos passar um tempo aqui”.

O jovem vive com a esposa Luisa Acosta, conseguiu emprego como roteirista na região e iniciou o experimento social Polling Life. Segundo ele, as enquetes controlam boa parte do seu dia, mas não as 24 horas. “Pode não parecer, mas tenho uma vida normal e faço outras coisas da vida. Além disso, minha esposa tem muito mais poder sobre meu dia do que meus mestres”, brinca.

LEIA MAIS

8 recomendações para você

Deixe seu comentário