Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
O mindfulness é aplicado nas escolas da Inglaterra com sucesso. Aos poucos, a prática começa a ser desenvolvida no Brasil.  Foto: Bigstock
O mindfulness é aplicado nas escolas da Inglaterra com sucesso. Aos poucos, a prática começa a ser desenvolvida no Brasil. Foto: Bigstock| Foto:

Nem só de cálculo e gramática deve ser feita a escola. Mas é assim que ainda acontece na maior parte das instituições brasileiras. “Nós ensinamos português, mas não ensinamos a lidar com a própria mente”, enfatiza Honório de La Iglesia Lopes, psicólogo e professor do projeto Mindfulness in Schools.  A iniciativa, que insere a prática de mindfulness (também traduzido como atenção plena) nas escolas, se baseia na ideia de que cada criança possui habilidades para gerenciar as dificuldades, mas precisa aprender como e quando usá-las.

Honório, que é formado e praticante de Mindfulness pelo Instituto de Yoga e Mindfulness Nirakara e membro do Instituto Europeu de Psicologia Positiva, estudou na Inglaterra, no MiSP (Mindfulness in Schools Project), onde a atenção plena já faz parte da realidade escolar, para poder aplicar o método em Curitiba. “A ideia é que o projeto aconteça dentro da grade curricular”, explica ele. O curso consiste em uma palestra de introdução e nove sessões, uma por semana, de 50 minutos com professor e alunos. Depois disso, eles já têm as ferramentas para levar a prática adiante – inclusive, podem ser assistidos pelo projeto Mindfulness in Schools, que oferece materiais de apoio e acompanhamento no site.

Como o projeto preza pela integridade do método, apenas professores que passaram pelo curso podem ser licenciados para a prática na escola. Honório é o único professor preparado com a técnica no Brasil. Em contrapartida, na Inglaterra, em cinco anos, 4 mil professores foram treinados e possuem qualificação para ensinar atenção plena aos alunos do ensino básico, segundo o Mindfulness School Project. A formação dá base para que professor lide com crianças entre 11 e 18 anos, incluindo todos os desafios e os aprendizados que o curso propõe.

“Uma das coisas que as crianças aprendem é a lidar com seus problemas internos, com as próprias emoções, com conflitos e com a ansiedade. A partir disso, eles conseguem ficar mais calmos e render melhor. Não só na hora da prova, mas também na aula, na hora de estudar, vão conseguir ficar com a mente no que estão fazendo”, diz o psicólogo.

(Foto: Bigstock)
(Foto: Bigstock)

Diferente do que se trabalha com adultos, porém, o trabalho com os jovens demanda mais dinâmica e vivacidade na prática. “Todas as atividades têm uma parte lúdica, como bater palmas, fazer exercícios com os dedos, comer chocolate, mas não muito rápido, saboreando. Tudo é muito adaptado para manter a atenção dos jovens”, explica. E o resultado é comprovado.

Uma pesquisa, do departamento de psiquiatria da Universidade da Carolina do Norte, inseriu um programa de autocompaixão consciente e atenção plena (mindfulness) com duração de oito semanas entre adolescentes. O estudo evidenciou uma significativa diminuição do estresse e aumento da resiliência, gratidão e curiosidade durante a intervenção. Além disso, os resultados observados apontaram a existência de correlação entre atenção plena e autocompaixão com estresse e sintomas depressivos; entre atenção plena com ansiedade; e entre autocompaixão com resiliência e curiosidade.

Sobre a atenção plena

A importância da prática da atenção plena já é difundida em algumas culturas, principalmente na asiática, mas vem ganhando interesse acadêmico e da sociedade em todo o mundo. O SUS, inclusive, incluiu a meditação como terapia alternativa.

Para quem não conhece, o mindfulness é a capacidade de estar presente. Para Honório, é uma atitude que deve ser cultivada semana a semana dentro da vida cotidiana e incorpora um pouco mais de atenção, ajudando a viver a calma interna. A definição simples se apresenta mais difícil na prática. Um estudo da Harvard descobriu que a mente das pessoas vaga em cerca de 50% do tempo – eles usaram um aplicativo para perguntar no que as pessoas estavam pensando e, na metade do tempo, o pensamento não tinha a ver com o que elas estavam fazendo. O problema é que os pensamentos que ocorrem quando a mente está vagando são notoriamente baseados em preocupações.

Exercícios

Também é possível ensinar alguns fundamentos da técnica para as crianças e adolescentes em casa ou na sala de aula, de forma lúdica e divertida. Confira alguns passos simples:

Com um sino: Toque um sino e peça às crianças para ouvirem atentamente a vibração do som. Diga-lhes para permanecerem em silêncio e levantarem as mãos quando já não ouvirem o som do sino. Em seguida, diga-lhes para permanecerem em silêncio durante um minuto e prestarem muita atenção para os outros sons que ouvem depois que o sino parou. Depois, sentem-se em círculo e peça às crianças para dizerem todos os sons que notaram nesse minuto. Este exercício não é apenas para divertir e animar as crianças para compartilharem suas experiências com os outros, mas realmente ajuda a conectar-se ao momento presente e à sensibilidade de suas percepções.

Sentindo o coração: Fale para as crianças pularem para cima e para baixo durante um minuto. Então devem se sentar e colocar suas mãos em seus corações. Diga-lhes para fecharem os olhos e sentirem seus batimentos cardíacos, sua respiração e ver o que mais notam em seus corpos.

Objeto perfumado: Passe algo perfumado para cada criança, como um pedaço de casca de laranja fresca, um raminho de lavanda ou uma flor de jasmim. Peça-lhes para fecharem os olhos e respirarem o perfume, concentrando toda a sua atenção apenas no cheiro desse objeto. Perfume pode realmente ser uma ferramenta poderosa para o controle da ansiedade.

Trajetória pessoal

Para Honório “melhor do que ouvir falar sobre o mindfulness é praticar”. Ao entrar em contato com o conceito de mindfulness, ele começou com a prática de meditação, na Espanha, país onde nasceu, há três décadas. Depois, ele resolveu se aprofundar em yoga e meditação na Suécia, estudando em um centro de treinamento, como em um monastério, quando se tornou monge.

Foi à Índia, conheceu um mestre espiritual e passou 17 anos organizando palestras, retiros e seminários sobre meditação, yoga e ciência espiritual em diferentes países como Espanha, Dinamarca, EUA, Uruguai, México, Haiti e Argentina. Também fazia trabalhos missionários por onde passava. Voltou para a Espanha, fez faculdade de psicologia e participou do grupo de estudo sobre meditação no conselho regional de psicologia de Madrid.

Agora, em Curitiba, ele continua dando cursos e semeando a prática. “Acredito porque vejo a transformação nas pessoas, o testemunho delas e a posição de profissionais da saúde e da educação, que dizem como ele ajuda a ter uma atitude diferente diante da vida”, explica.

SERVIÇO

Honório dirige o programa de oito semanas de mindfulness, em Curitiba. A princípio, os interessados participam de uma palestra introdutória, que é aberta e gratuita. A próxima acontece no dia 6 de julho. Para o programa, os participantes se reúnem uma vez por semana, na quarta ou quinta-feira, por aproximadamente 2 horas e os encontros têm início às 19h30.

O valor do curso é de R$800, podendo ser parcelado em até três vezes. O curso acontece no espaço Vínculo Vital, na Rua Cecília Meireles, 653, São Lourenço. Os números de contato são o (41) 3149-0356/99684-4693. As próximas datas de início são nos dias 12 e 13 de julho.

Após a conclusão do programa, os participantes estarão aptos para continuarem praticando as técnicas sozinhos em seus próprios ambientes, criando um efeito de sustentabilidade importante para promoção da saúde e qualidade de vida.

Leia mais

“As escolas preparam alunos para os hospitais psiquiátricos”, diz Augusto Cury

Pai cria técnica que faz bebê parar de chorar em 10 segundos

Além do celular: veja como entreter as crianças no restaurante

 

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]