Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
(Foto: VisualHunt)
(Foto: VisualHunt)| Foto:

Ao acordar no meio da noite, 37% das pessoas costumam verificar as mensagens instantâneas em aplicativos como o WhatsApp, e 28% chegam a responder os amigos ainda durante a noite. Esses foram os resultados da pesquisa Global Mobile Consumer Survey – GMCS 2016, da Deloitte, que mostra o hábito de consumo de equipamentos e serviços de tecnologia móvel, realizado em 31 países, incluindo o Brasil.

Enquanto 1/3 dos brasileiros diz conferir as mensagens de madrugada, apenas 29% dos entrevistados afirmaram nunca checar os aparelhos durante a noite, nem mesmo para ver as horas. Mas, logo quando acordam, 32% disseram que a primeira coisa que fazem ao levantar é olhar o celular. E, nos cinco minutos antes de dormir, a última coisa que 48% dos respondentes dizem fazer é ver as novidades no smartphone.

Leia mais

Sem dietas loucas, ainda dá tempo de emagrecer para o verão

Quando a cirurgia de miopia não pode ser feita?

Pets também sofrem com horário de verão

O que fazem?

Poucos ficam brincando em joguinhos no celular pela manhã, e 33% das pessoas gostam mesmo é de navegar pelas redes sociais. Em seguida, 28% preferem mexer com os aplicativos de mensagens instantâneas e 10% dizem verificar os e-mails pessoais.

Fora de casa, 15% dos pesquisados costumam atravessar as ruas enquanto interagem com os aparelhos, e 12% afirmam que usam os telefones enquanto dirigem. Por outro lado, 44% dizem nunca conduzirem dividindo a atenção com o smartphone. Se estão no ônibus, metrô ou trens, 46% dos entrevistados dizem estar atentos aos celulares.

Na hora das refeições, 35% sempre, ou quase sempre, mexem no telefone enquanto comem em casa. Se vão ao restaurante, apenas 32% ficam grudados aos celulares.

Mesmo no trabalho?

Sim, mesmo estando no trabalho, o aparelho de smartphone não fica longe – 48% usam sempre ou quase sempre durante o trabalho. Apenas 6% dos entrevistados disseram nunca usar os aparelhos durante o horário de serviço.

Até enquanto assistem televisão, 51% dos pesquisados conferem com frequência os aparelhos, e os relacionamentos têm sido prejudicados (30% relatam pelo menos uma discussão de casal por semana devido ao uso excessivo dos smartphones).

WhatsApp: o mais lembrado

Entre os respondentes que usam mensagens instantâneas, interagem em redes sociais ou se comunicam por e-mails, o WhatsApp é o aplicativo mais lembrado, com 85% de citações entre os brasileiros que possuem smartphones.

A faixa etária que utiliza com maior frequência as mensagens instantâneas fica entre 45-55 anos, chegando a 90% dos ouvidos. Entre os jovens, de 18 a 24 anos, esses apps foram lembrados por 70% deles.

E o motivo para 11% dos entrevistados trocarem de celular? Os antigos foram roubados.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]