Saiba como atualizar documentos pós-casamento

Mesmo que você decida por não mudar o sobrenome depois do casamento, alguns documentos precisam atualizar o ‘estado civil’

(Foto: VisualHunt)

Casar é mais que fazer festa e juntar as escovas de dente, é também atualizar documentos importantes de identificação. Mesmo que o casal decida não mudar o sobrenome, alguns documentos – como o próprio Registro Geral (RG) e o CPF – precisam ter o item ‘estado civil’ atualizado. Essa mudança deve ser feita logo depois do casamento, para evitar qualquer problema futuro de incoerência nos dados. Veja como atualizar cada documento, e o custo de cada um.

>> Vai viajar de avião e perdeu o RG? Veja com qual documento você pode embarcar

RG

Para atualizar o RG, é preciso solicitar uma segunda via do documento com retificação pelo Instituto de Identificação do Paraná. Para isso, o interessado faz um agendamento pelo site ou pelo telefone (41) 3200-5895. A atualização custará R$ 31,07, de acordo com informações do próprio Instituto. Não se esqueça de levar a certidão de casamento, RG e comprovante de endereço.

CPF

Com o RG, título de eleitor, certidão de casamento e o CPF em mãos, é possível atualizar o estado civil do CPF em diferentes locais: agência dos Correios, Caixa Econômica Federal ou mesmo no Banco do Brasil. O custo é de R$ 7, valor máximo que será cobrado da pessoa, de acordo com informações disponíveis no site da Receita Federal.

Título de eleitor

Se a mudança do título de eleitor for apenas dos dados, e não do local de votação, basta levar o título de eleitor e a certidão de casamento, além do RG, certidão de nascimento, reservista ou carteira de trabalho. Leve também o comprovante de residência no município, que pode ter o seu próprio nome, dos seus pais ou do cônjuge. Correspondências particulares não serão aceitas. Segundo dados do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), a revisão do título é gratuita, desde que o eleitor esteja em dia com suas obrigações eleitorais. Mais informações, aqui.

Carteira de motorista (CNH)

Antes de correr mudar os dados da carteira nacional de habilitação (CNH) ou de motorista, o Detran-PR solicita que a pessoa altere primeiro o RG. Com o RG alterado e o CPF em mãos, basta ir ao órgão para o atendimento por ordem de chegada, feito de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h. Em até 10 dias úteis, a nova CNH gerada pelo Detran chegará na residência, e terá o custo de R$ 74,89. Mais informações, aqui.

Passaporte

No caso da atualização de dados do passaporte, é preciso alterar todos os outros documentos de identificação primeiro – RG, CPF, CNH, além de levar a certidão de casamento. Depois, a Polícia Federal solicita que a pessoa preencha o requerimento da alteração pela internet, que pode ser feito por aqui. Em seguida, é feito o pagamento da taxa, de R$ 257,25, e depois de cinco dias, agenda a visita a sede da PF. Todos os documentos devem ser originais, não sendo necessário levar uma cópia e nem foto. Em 45 dias, a pessoa terá em mãos o passaporte novo e alterado.

Carteira de trabalho

Sim, até a carteira de trabalho precisa de atualização cadastral. Para isso, leve sua carteira de trabalho e a certidão de casamento a qualquer uma das agências do Ministério Público do Trabalho da sua cidade. Não é preciso fazer agendamento prévio, mas o atendimento acontece até às 16h30 – fique atento ao horário. Também não há qualquer custo para essa alteração. Mais informações, aqui.

Cadastros profissionais e instituições bancárias

Lembre-se de que cadastros e carteiras profissionais, como da OAB, CRM, CREA, entre outros, também precisam de atualização. Busque junto aos conselhos nacionais a mudança dos dados. Da mesma forma, não se esqueça de alterar as informações junto aos bancos que você tiver conta, e às seguradoras.

 “A solicitação de alteração dos documentos é sempre posterior ao casamento. Não tem como alterar nenhum cadastro sem a certidão de casamento. Isso deve ser feito até o mês seguinte ao casamento, para que não corra o risco de se envolver em problemas de nomes diferentes nos documentos, que pode levar até uma ‘falsidade ideológica’” – Ricardo Augusto de Leão, diretor de registro civil da Associação dos Notários e Registradores do Paraná (Anoreg-PR).

8 recomendações para você

Deixe seu comentário