i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comportamento

Curitibanas podem denunciar locais em que se sentem inseguras

Capital passou a constar em site e aplicativo da ONU e governo federal neste mês. Saiba o que fazer para usar a ferramenta.

  • PorDa Redação
  • [24/03/2015] [09:33]
Foto: Morgue File.
Foto: Morgue File.| Foto:

Mulheres que moram em Curitiba já podem denunciar locais da cidade em que se sentem inseguras — ou seja, em que foram abordadas sem autorização, levaram “cantadas” indigestas ou mesmo sofreram algum tipo de agressão. A capital paranaense passou a constar no site Clique 180 e no aplicativo disponível para iPhone e Android.

As ferramentas reúnem relatos de mulheres e ajudam a criar um “mapa da insegurança”. O objetivo é nortear políticas públicas para o público feminino. A iniciativa é do governo federal e da Organização das Nações Unidas (ONU) e complementa o Disque-180, que recebe denúncias sobre violência contra a mulher no país todo.

Curitibanas podem denunciar locais em que se sentem inseguras

Ao acessar o aplicativo e o site Clique 180, a mulher pode denunciar ruas e pontos de ônibus sem iluminação ou ermos, além de furtos, roubos e outras agressões. No caso do aplicativo, a ferramenta é sigilosa — fica mascarada por um ícone diferente. Além do mapa, há orientações sobre o tema violência contra a mulher, sobre a Lei Maria da Penha e o atendimento pelo Disque-180.

Curitiba faz parte da ferramenta desde o dia 20. Mas, conforme o Viver Bem checou nesta terça-feira de manhã, ainda não há ocorrências registradas na cidade. A Prefeitura prepara para amanhã (25) uma campanha — o “Dia Laranja”, alusão ao “Orange Day“, da ONU — para divulgar o uso do site e do aplicativo. A ação faz parte da programação pelo aniversário de Curitiba, no dia 29.

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]
Tudo sobre:

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.