Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Dia dos namorados: por que está tão difícil engatar um relacionamento?

Tolerância, compreensão e respeito se opõe a cultura imediatista e de substituição diante de problemas que um casal pode enfrentar

mãos-dadas-aliançaIndividualismo, falta de tolerância e outras questões fazem com quem as pessoas desistam das relações antes de lutar por elas. Foto: Bigstock

Não é preciso se esforçar muito para o assunto recair sobre relacionamentos. “Os homens têm andando no limite do que é respeitoso e aceitável”, diz uma das amigas na roda. No outro canto da sala, um deles se manifesta: “a verdade é que elas não valorizam nada do que fazemos”, lamenta para os companheiros.

O embate anda em um círculo vicioso e não conhece barreiras nem de idade, nem sociais. Por que está tão difícil manter um relacionamento duradouro?

>> Receba informações exclusivas! Assine nossa newsletter!

A aposentada Vera Carvalho, por exemplo, diz que o problema é que as pessoas têm buscado apenas pela beleza. “Não é por aí. O que eu espero de um relacionamento é muito mais a sinceridade, companheirismo e carinho, para andar juntos na mesma estrada”, comentou.

Do outro lado da moeda o argumento não difere. O motorista Diassis Santos argumenta que está difícil encontrar alguém que valorize as atitudes no dia a dia. “Algumas mulheres não valorizam o que fazemos e por isso o que eu busco é uma companheira que me respeite, compreenda e tenha um bom caráter”, enumera.

Ainda que não faltem candidatos para afirmar que o que esperam da vida a dois é companheirismo, como explicar o número crescente de solteiros reclamando da dificuldade em encontrar um par com os mesmos objetivos?

Para o professor de psicologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, campus Londrina, Celso Atayde Neto, a explicação está na cultura de substituição diante dos problemas. “O que acontece é que os relacionamentos são construídos de acordo com uma cultura e me parece que a nossa está muito ligada ao descartável. Quando algo não está funcionando, estamos muito mais dispostos a trocar do que consertar”, declara.  “As pessoas estão mais acostumadas com a ideia da atualização, de uma nova versão, do que com a durabilidade”.

Especialista em relacionamentos, a psicóloga Fernanda Tochetto complementa a ideia afirmando que as pessoas têm estado mais exigentes não só com os parceiros, como também consigo mesmos.

“Um dos grandes impactos que percebo nas relações é que homens e mulheres têm buscado autonomia e crescimento pessoal, por si mesmo. Então se a situação não for de evolução para o casal e bem mútuo, é melhor estar sozinho. As pessoas não querem se conectar se não puderem compartilhar os mesmos objetivos”, comenta.

>> “Abuso de descongestionante nasal causa dependência e aumenta risco cardíaco”.

Transparência e alinhamento são os primeiros passos

O segredo, contam os dois especialistas, passa pela transparência e alinhamento dos objetivos em comum. “Não existe receita, porque quando se trata de relacionamentos temos pessoas que querem apenas o superficial e aquelas que buscam constituir uma família. O razoável é identificar pessoas que tenham a mesma visão que a sua”, continua Atayde Neto.

“Aí mora o maior motivo de desavença e frustrações entre os casais. Então o importante é identificarmos quando encontramos alguém, é se estamos apaixonados pela pessoa em si ou pela expectativa do que ela pode me oferecer. E o que precisamos, mais do que uma relação duradoura ou casual, é que essas relações sejam, acima de tudo, verdadeiras”, finaliza.

A especialista Fernanda Torchetto também acredita que o autoconhecimento, a busca por uma carreira sólida e trajetórias de sucesso não são empecilhos para criar uma conexão profunda.

elacionamento-duradouro-bigstock-destaque

Cultura de substituição é um dos empecilhos para levar um relacionamento duradouro, dizem psicólogos. Foto: Bigstock

“Quando entramos para somar em um relacionamento, qualquer comportamento ou força que possa estar nos puxando para trás, pode ser modificado. Mas o nível de tolerância está menor”, diz.

Além da tolerância, a profissional reforça que a sinceridade é o melhor aliado para um relacionamento novo.

“Muitos entram num relacionamento ocultando quem são, seus objetivos, com medo de mostrar todo seu potencial. E essas pessoas se sufocam, incorporando um personagem. Então primeiro de tudo preciso me conhecer para entrar em uma relação, mostrando pouco a pouco o que eu realizo, o que eu faço. Essas descobertas é que fortalecem um casal”.

E se você está pensando em iniciar um novo relacionamento ou renovar seu amor, a profissional indica que o melhor passo é responder a si mesmo a algumas perguntas.

“Como você se comporta no seu relacionamento? O que é importante para você? Quando foi a última vez que elogiou seu parceiro e o que você admira nele? Por que juntos vocês são melhores? Essas perguntas causam transformações no seu jeito de ver um relacionamento e essa provocação vai causar um movimento muito diferente entre vocês, do que simplesmente dar um presente ou sair para jantar”, finaliza.

LEIA MAIS

8 recomendações para você

Deixe seu comentário