Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Quer ser mais saudável? Vire uma “criança” na feira de rua

A mudança dos hábitos alimentares pode começar por onde comprar frutas e verduras. Para Daniele, não existe lugar melhor do que o colorido dos produtos das feiras de rua

A chuva não afasta quem busca a feirinha para mudar os hábitos de vida. Na imagem, a feirinha do Juvevê (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

Igual a uma criança pequena, atraída pelas cores chamativas das frutas e legumes nas barracas, Daniele Fontana se apaixonou pelas feiras de rua de Curitiba quando precisou mudar os hábitos alimentares. Há pouco menos de um ano, a advogada de 31 anos trocou os fast foods e os açúcares industrializados pelas restrições de uma cirurgia bariátrica, realizada em maio do ano passado. Foi uma esteatose em grau máximo no fígado, que logo viraria uma cirrose, que apressou a busca pela ajuda.

Desde então, a luta por uma alimentação mais saudável é diária, mas estar próxima de alimentos naturais facilita todo o processo. A feirinha aos sábados na rua Alberto Bolliger, no bairro Juvevê, é visitada pela Daniele todas as semanas e foi lá que o Viver Bem conversou com ela, neste sábado (28).

A vida saudável da advogada inclui, além da alimentação, o uso da bicicleta para ir e voltar do trabalho e da academia, onde faz exercício funcional e musculação (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

A vida saudável da advogada inclui, além da alimentação, o uso da bicicleta para ir e voltar do trabalho e da academia, onde faz exercício funcional e musculação (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

“Eu tinha 102 kg. Agora estou com 63 kg. Fiz a cirurgia em maio e faço o acompanhamento com nutricionista e fisioterapeuta, além do médico. Foi bem difícil mudar, principalmente porque eu só fui magra durante três meses, que foram os três primeiros meses da minha vida. Eu passei uma vida inteira sendo obesa e agora, quando eu decidi pela cirurgia, eu tive de mudar minha mentalidade. A vontade de comer fritura ainda existe, mas eu não como. Você tem que saber que aquilo pode ser até gostoso, mas não faz bem. Depois de um tempo, até o gosto muda. Essas comidas, agora, têm gosto de terra para mim”, conta Daniele.

No novo paladar da advogada, as frutas e legumes ocupam lugar de preferência, e dois itens não podem faltar na sacola da feira de jeito nenhum: banana e cenoura. “Eu tinha que ser ou macaco ou coelho, porque eu amo banana e cenoura. Amo de tudo que é jeito, seja ela cozida ou mesmo crua. Eu faço um molho branco com castanha de caju que é uma delícia e fica muito bem com a cenoura. Depois você adiciona cebola, cebolinha… Dá até água na boca só de lembrar”, diz.

A banana tem uma função ainda mais importante para ela: tirar a vontade dos doces. “Banana, abacaxi docinho. Eles substituem bem aquele tal do açúcar e depois nem dá mais vontade de comer o tradicional”, diz Daniele, que faz compras na feirinha do Juvevê aos sábados e nos sacolões de frutas e verduras espalhados pela cidade ao longo da semana.

Leia mais

Correr pode ser bom para seus joelhos. Saiba por que!

Por que o ouvido “tampa” ao descer a serra?

Batata frita pode ser mais saudável do que a cozida. Veja como prepará-la!

 

Olhos de criança

Para quem chega à feira pela primeira vez e quer começar uma vida mais saudável, Daniele sabe como é difícil dizer não às “gordices”. “Eu sempre vim à feira com a minha família, mas antes eu não gostava de comprar as verduras e legumes. Eu comia um pouco de salada, mas era bem pouco. A maior parte da minha alimentação era de coisas que não prestavam. Agora eu venho aqui e não compro mais besteira. Às vezes, cedo eu compro uma pamonha doce, como hoje, mas como só um pedaço. O restante eu dou para a minha mãe e a minha avó. Eu me permito pequenos agrados, mas sempre escolho os que fazem menos mal. Entre uma pamonha e um pastel, fico com o pedaço pequeno de pamonha”, diz.

O que fez ela mudar de ideia foi ver as barracas de frutas e legumes por um olhar diferente, pelos olhos de alguém bem mais novo e atraído pelas cores. Aos que querem seguir seus passos, Daniele sugere:

“Seja atraído pelas cores. Vá até a banca de verduras, olhe o pimentão, olhe para aquela cor chamativa. Veja a cenoura. Não olhe para o chuchu com aquele pensamento de ‘ai, o chuchu’. Não, é uma delícia! Pegue as folhas de alface, a beterraba, couve-flor, brócolis. Veja as frutas, o melão, o abacaxi, a banana. Vá pelas cores fortes. Elas te atraem como se você fosse criança. Vire uma criança quando for à feira!”

 

Feiras de rua em Curitiba

Confira a lista de feirinhas de rua em Curitiba, de acordo com informações da Prefeitura, que atendem durante o dia. As feiras que atendem à noite estão aqui.

Terça-feira

Feira do Rebouças. Rua Nunes Machado. Das 7 horas às 11h30.

Feira do Água Verde “B”. Rua Dom Pedro I. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Jardim Botânico. Rua Cel. João da Silva Sampaio. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Uberaba. Rua Cel. José Carvalho de Oliveira. Das 7 horas às 11 horas.

Feira da V. Santa Amélia. Rua Fernando de Souza Costa. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Mossunguê. Rua Paulo Gorski. Das 14 horas às 20 horas.

Quarta-feira

Feira do S. Francisco. Rua Davi Carneiro. Das 7 horas às 11h30.

Feira do Bigorrilho. Rua Roquete Pinto e rua Martin Penna. Das 7 horas às 11h30.

Feira do Boa Vista. Rua Nossa Senhora de Nazaré. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Xaxim. Rua Cascavel. Das 7 horas às 11 horas.

Quinta-feira

Feira do Ahú. Rua Colombo. Das 7 horas às 11h30.

Feira do Batel. Rua D. Pedro II. Das 7 horas às 11h30.

Feira Boqueirão. Rua Gabriel Corisco Domingos. Das 7 horas às 11 horas.

Feira de Santa Quitéria. Rua Professor Fábio de Souza. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Bairro Alto. Rua Adílio Ramos. Das 7 horas às 11 horas.

Sexta-feira

Feira do Água Verde “A”. Rua Cel. Dulcídio. Das 7 horas às 11h30.

Feira do Jd. Social. Praça Mto. Heitor Vila Lobos. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Jd. das Américas. Praça Mto. Bento Mussurunga. Das 7 horas às 11 horas.

Feira do Cristo Rei. Rua do Herval. Das 7 horas às 11 horas.

Feira da V. S. Pedro. Rua Eng. Wladislau Dec. Das 7 horas às 11 horas.

Feira da Sta. Felicidade. Rua Neuraci Neves do Nascimento. Das 7 horas às 11 horas.

Sábado

Feira do Alto da Glória. Rua Alberto Bolliger. Das 7 horas às 13 horas.

Feira da Vila Hauer. Praça Joaquim Menelau A Torres. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Seminário. Rua Prof. João Argemiro de Loyola. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Portão. Rua Pedro Hansaul. Das 7 horas ao meio dia.

Feira da Vila Guaíra. Rua Rio de Janeiro. Das 7 horas ao meio dia.

Feira do Pilarzinho. Rua São Domingos. Das 7 horas ao meio dia.

Feira do Bom Retiro. Rua Henrique Itiberê Cunha. Das 7 horas ao meio dia.

Feira do Jd. Pinheiros. Rua Pe. José Martini. Das 7 horas ao meio dia.

Feira do Jd. Virginia. Avenida Ver. Toaldo Túlio. Das 7 horas ao meio dia.

Domingo

Feira do Prado Velho. Rua Francisco Nunes. Das 8 horas às 12h30.

Feira das Mercês. Praça 29 de Março. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Bacacheri. Rua José Gulin. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Jd. Saturno. Rua Albino Potulski. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Fazendinha. Rua Rio do Sul. Das 8 horas às 12h30.

Feira da Barreirinha. Rua Anita Garibaldi. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Campo Comprido. Rua Maria Homan Wisniewski. Das 8 horas às 12h30.

Feira do Cajuru. Rua Theóphilo Otoni. Das 8 horas às 12h30.

Feira da Vista Alegre. Rua Arthur Leinig. Das 8 horas às 12h30.

 

 

8 recomendações para você

Deixe seu comentário