Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação| Foto:

A paixão pelas joias veio da infância das irmãs Mariana Demeterco (23) e Roberta Demeterco (25), responsáveis pela criação da marca Demetra. A coleção de estreia tem 52 peças e foi inspirada no início do século 2o por dois períodos que tiveram grande influência na moda, a Belle Époque, na França, e a Era Eduardiana, no Reino Unido. Pérolas, diamantes, rubis e esmeraldas compõem brincos, braceletes, pulseiras, gargantilhas e anéis confeccionados com sobreposição de tonalidades de ouro. A inauguração da marca, no mês passado, contou com a presença de 150 convidadas no Espaço Ícaro Jardins do Graciosa.

Bracelete Nicola Esmeralda. Foto: Divulgação
Bracelete Nicola Esmeralda. Foto: Divulgação

Mariana conta que, desde criança, ela e a irmã Roberta ganhavam pedras em datas especiais dos familiares. “Íamos atrás do significado delas, assim como de um ourives para confeccionar a joia. Acabamos conhecendo todos de Curitiba”, explica a designer que já desenhava as peças naquela época. Em 2009, Mariana foi estudar em um colégio americano na Suíça, foi onde teve mais contato com as artes. “Lá fiz aula de pintura em tela e desenho. Também desenhei uma coleção de relógios e joias com borboletas”, relembra.

Mariana usa o choker Lilly na inauguração da marca. Foto: Divulgação
Mariana usa o choker Lilly na inauguração da marca. Foto: Divulgação

Para criar a linha Lilly, Mariana foi atrás das inspirações que guardou durante a vida. “Desde revista, até desenhos nos cadernos da escola e da faculdade. Mostrei para a minha mãe e ela disse que era preciso fazer um business plan”, conta. Então a jovem fez um curso de business e foi atrás de conseguir ourives e gemólogo. “Foi difícil entrar neste mercado, pois ele é restrito. Mas eu já havia feito eventos para outras marcas de joias então tinha alguns contatos”, detalha a designer. Depois, as duas irmãs montaram um ateliê em São Paulo, onde existem produtores que indicam os profissionais para se trabalhar de acordo com as características das peças.

Leia mais:

>> Ateliê de alta costura revitaliza peças com valor histórico

>> Marca curitibana de bolsas se reposiciona e traz produtos para todas as horas

>> 16 marcas autorais paranaenses desfilam no ID Fashion

A inspiração para a coleção veio de uma visita a Míconos, na Grécia. “Enquanto andava pela cidade, vi uma pulseira numa vitrine que era de um designer grego e fiquei apaixonada. Na época anotei o contato dele mas nunca mais encontrei. Então, resolvi que a linha teria um bracelete parecido com aquele”, conta ela que determinou a utilização das tonalidades de ouro amarelo, branco, rosé nas peças. “Primamos pela delicadeza com toque vintage. Os aros são finalizados quadrados, não redondos como antigamente. Já a lapidação das pedras é eduardiana. As pérolas também ficam com um toque jovial nesta coleção”, explica.

Choker Lilly pérola negra Tahiti. Foto: Divulgação
Choker Lilly pérola negra Tahiti. Foto: Divulgação

Ela conta que para fazer a coleção foi necessário muito estudo. “O nome Lilly vem de uma das maiores musas do começo do século 20. Ela não saía de casa sem estar impecável. A linha tem 13 famílias com nome de outras musas deste mesmo período, todas elas se conversam“, detalha. Mariana conta que além do bracelete, sua peça preferida é o choker Lilly.

Roberta com os mostruários da inauguração da Demetra. Foto: Divulgação
Roberta com os mostruários da inauguração da Demetra. Foto: Divulgação

Enquanto Mariana é responsável pela criação das peças e administração da marca, Roberta atua nas vendas e no marketing. “Ela também ajudou na seleção das peças, assim como outros familiares e amigos. Roberta está entrando em contato com os hotéis para colocarmos os totens da marca”, explica.

Brincos Nicola Rubi. Foto: Divulgação
Brincos Nicola Rubi. Foto: Divulgação

Formada em administração, Mariana tem planos para 2017. “Em janeiro vou morar nos EUA, para estudar pedras, pérolas, tecnologia e criação de joias no Gemological Institute of America (GIA). Mas retorno no final do ano”, explica a designer que salienta que a marca continuará bem supervisionada pela irmã. A coleção ficará disponível por, no mínimo dois anos. Apesar de não ser focada em somente uma pessoa ter uma peça, existe um apreço pela exclusividade. “Estamos determinando quantas peças de cada podem ser vendidas. As mais importantes da marca terão no máximo cinco exemplares”, finaliza. Para adquirir uma peça, a marca tem o catálogo e aceita encomenda tanto no showroom ou em casa.

Serviço:

Showroom. Av. João Gualberto, 1673, 12º andar – Alto da Glória.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]