Patrocínio

Hospital Pilar Instituto de Oncologia do Paraná

Intolerantes têm opções de probióticos além dos lácteos

Confira alternativas para quem tem intolerância ou alergia a leite e derivados

“Contém lactobacilos vivos”. Você já deve ter lido a frase em algum rótulo ao longo das gôndolas do supermercado, mas faz ideia do que ela significa? É sinal de que o produto é composto por probióticos, ou seja, microorganismos vivos que ajudam no funcionamento e proteção da flora intestinal, favorecendo a absorção de nutrientes para manter o corpo saudável.

Má alimentação, com consumo excessivo de açúcar e produtos processados, assim como alguns tratamentos médicos com antibióticos podem desregular a saúde do intestino. Nestes casos, é preciso aumentar a quantidade de probióticos.

Como são geralmente encontrados em produtos lácteos, pessoas com intolerância ou alergia ao leite têm mais dificuldade em consumi-los. A nutróloga Claudia de Oliveira Kloster explica que existem outros alimentos que contêm probióticos, porém não em quantidades significativas em comparação aos leites fermentados e iogurtes. “Se a pessoa estiver com sintomas de má digestão e estufamento, é o especialista quem vai sugerir a quantidade recomendada. Nesse caso, é possível compra-los em sachês ou em cápsulas na farmácia.”

De acordo com a especialista, a chave da produção do probiótico é a fermentação do alimento. Confira alguns exemplos de fontes de probióticos que, se consumidos em pequenas quantidades e com frequência, podem atuar como preventivos da flora intestinal:

  • Grãos germinados, como a soja e seus derivados (shoyu, missô);
  • Kefir: microorganismos vivos que fermentam no leite ou na água;
  • Kombucha: bebida fermentada a partir do chá;
  • Chucrute;
  • Chocolate amargo;

Novidade: leites vegetais com probióticos

Existem diversos blogs com dicas sobre como preparar iogurtes a partir de leites vegetais com probióticos em casa, mas a perspectiva de que o mercado invista em produtos assim é grande, segundo a endocrinologista pediatra e diretora do Laboratório Frischmann Aisengart, Myrna Campagnoli. “Como a indústria tem trabalhado muito com produtos sem lactose e outros de base vegetal, existem pesquisas sobre a questão dos probióticos em leites vegetais. É uma alternativa interessante, até porque hoje em dia só temos opções com soja”, comenta.

LEIA MAIS:

Combinar remédio e álcool traz riscos que podem levar à morte. Evite!

9 vegetais que prometem um detox no organismo

Conheça os cinco exames de diagnóstico da intolerância ao glúten

8 recomendações para você

Deixe seu comentário