• Carregando...
Foto: Bigstock.
Foto: Bigstock. | Foto: Getty Images/iStockphoto

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu, em decisão publicada nesta quinta-feira (19), a fabricação e comercialização dos seguintes cosméticos: o shampoo The First Shampoo 2.0 Sweet Profissional, linha utilizada em salões de beleza para alisar o cabelo; o Shampoo Erva Doce Álcool, 5L; o Condicionador Ecco, 5L, e o Sabonete Líquido Erva Doce, 5 L.

O primeiro é fabricado pela empresa Titânia Indústria de Cosméticos Ltda EPP. Os demais pela Ecco Brasil Ecological Cosmetics Ltda, especialista na fabricação de produtos de higiene pessoal, em especial para a indústria hoteleira.

A alegação do órgão é a falta de registro ou notificação dos cosméticos na Agência.

Em ambos os casos, as empresas deverão recolher o estoque existente no mercado.

Clique aqui para conferir a proibição na íntegra. 

Por meio de nota, a empresa de cosméticos Sweet Hair Professional alegou que não trabalha mais com a tercerista Titânia – a qual o Diário Oficial da Anvisa citou.

Abaixo a nota completa enviada pela Sweet Hair Professional:

“A empresa de cosméticos Sweet Hair Professional cancelou com a terceirista Titânia, cuja nota foi dada em Diário Oficial. Os produtos continuam sendo trabalhados normalmente. Na época do cancelamento a terceirista estava para fechar e o pedido foi realizado pela própria Sweet Hair.

Um registro em uma nova terceirista foi realizado pela marca. Além disso a Sweet conta com uma fábrica própria que está com os registros em andamento.

A Sweet Hair ainda ressalta a presença de laudos que comprovam a segurança dermatológica e eficácia do produto. O Dossiê do produto contém testes que garantem essa segurança e registro na vigilância sanitária.

A Sweet ressalta que o pedido foi realizado pela própria marca, sendo essa de total credibilidade no mercado de cosmético mundial. A única empresa do setor profissional a entrar com seus produtos no Japão e certificada em mais de 66 países.”

A Ecco Brasil Ecological Cosmetics Ltda não se manifestou a respeito.


LEIA TAMBÉM:

0 COMENTÁRIO(S)
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]