Bebê para de respirar engasgado com leite e é salvo por procedimento simples; veja o vídeo

A criança chegou desacordada, roxa e sem batimento cardíaco. Foi feita a manobra três vezes e apenas na terceira tentativa foi possível reanimá-lo

Os pais de um recém-nascido entraram em um batalhão da Polícia Militar na noite da última segunda-feira, 15, em Marília, cidade do interior de São Paulo, com a criança nos braços, pedindo por socorro, pois o bebê havia engasgado e parado de respirar.

O bebê, de 21 dias, havia engasgado com leite. Eram cerca de 20h quando o casal o levou ao 9º Batalhão da PM. Os cabos Renato Taroco e Robson Thiago de Souza, que faziam a guarda do batalhão, realizaram os procedimentos da manobra de Heimlich (método de desobstrução de vias aéreas), e salvaram o bebê.

>> Receba informações exclusivas! Assine nossa newsletter!

Um vídeo de câmeras de segurança do batalhão registrou todo o desespero do casal e os procedimentos feitos pelos policiais até que o bebezinho volta a respirar. “A criança chegou desacordada, roxa e sem batimento cardíaco. Tivemos que realizar a manobra três vezes e apenas na terceira tentativa conseguimos reanimá-lo”, conta Taroco.

Após ser salvo pelos dois policiais, o bebê foi encaminhado a um hospital para atendimento médico e passa bem. “É uma sensação maravilhosa. Quando senti seu coração batendo em minha mão, chorei’, disse Taroco.

VEJA O VÍDEO

Procedimento a ser feito

Embora seja mais comuns em crianças menores, especialmente entre o primeiro e terceiro ano de vida, quando a mastigação e deglutição ainda não são completamente dominadas pelas crianças, os engasgos podem surgir a qualquer idade.

Antes de agir, os pais devem ficar atentos a alguns sinais. Quando se trata de uma aspiração de corpo estranho (ACE) parcial, quando a criança tosse e esboça sons, o melhor a fazer é não interferir e levar a criança direto ao médico ou hospital.

Se é uma aspiração de corpo estranho total, a criança não conhece esboçar nenhum som e apresenta asfixia, falta de ar e os lábios arroxeados. Nesse caso, é indicado uma intervenção rápida.

Nas crianças menores de um ano, a indicação é para fazer cinco percussões com a mão na região das costas, com a criança virada para baixo. Depois, cinco compressões na frente, até que o objeto seja expelido ou a criança reaja.

>> Como o empreendedorismo salvou esta mulher de pensamentos suicidas

Nas crianças maiores de um ano, os pais ou responsáveis podem fazer a conhecida manobra de Heimlich:

Abrace a criança por trás e faça compressões abaixo das costelas, com sentido para cima. Faça o movimento até que o objeto aspirado seja deslocado e expelido.

Erros mais comuns

Caso seja possível ver o objeto estranho na boca da criança, retire-o com cuidado. Caso não veja, não coloque a mão ou o dedo e tente retirar sem ver, pois pode provocar lesões na região ou mesmo empurrar o corpo estranho mais fundo – piorando a obstrução.

Esse, inclusive, é um dos erros mais comuns dos pais, segundo Eduardo Gubert, médico pediatra do hospital Pequeno Príncipe.

“Essa busca de tentar abrir a boca e colocar o dedo pode empurrar ainda mais para baixo o corpo estranho, que normalmente é uma bala ou goma de mascar. Esses são os elementos que mais fazem a criança se engasgar com gravidade, quando se trata de alimento”, explica.

Outro erro é dar água para a criança, caso ela tenha se engasgado com um objeto que esteja obstruindo as vias aéreas. “Se der água nessa situação, pode até piorar o engasgo da criança. É preciso adotar medidas que façam com que o oxigênio entre no organismo”, reforça.

Caso a criança tenha se engasgado com um alimento ou líquido, mas esteja tossindo normalmente e esteja apenas vermelha, não arroxeada, a água pode ajudar na eliminação do corpo estranho.

LEIA TAMBÉM

 

8 recomendações para você

Deixe seu comentário