Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Rawpixel / Unsplash
Foto: Rawpixel / Unsplash| Foto:

Em busca de alternativas para acabar com a ansiedade e a insônia? Em vez de ir à farmácia, corra para uma loja de produtos naturais. Depois, vá para casa e bote a água para esquentar, escolha sua caneca favorita e espere enquanto o chazinho fica pronto. Na lista a seguir, o Viver Bem reuniu dicas especiais de chás para ansiedade que ajudam a dormir melhor e a espantar o estresse.

Delicadas, as plantas e flores da lista parecem nem fazer cócegas nas pessoas que sofrem para pegar no sono, mas pode apostar que são poderosas. “Tem gente que toma uma xícara e já fica com sono. São plantas específicas que têm efeito relaxante e podem ser associadas entre si”, explica a nutricionista do Hospital Evangélico, Alessandra Stefani. Não é preciso muito: três xícaras ao dia bastam para que os efeitos sejam comprovados. E, quanto mais perto da hora de dormir, melhor.

Sachê x In natura

Embora pareça mais prático comprar os chás de sachê encontrados no supermercado, a nutricionista sugere que as infusões sejam feitas com os ingredientes in natura, comprados à granel. A desvantagem de consumir os “saquinhos” é a quantidade – em geral, os industrializados contêm muito pouco da planta.

Além disso, é importante ter conhecimento sobre os ingredientes em questão para aproveitar ao máximo as propriedades calmantes. A camomila, por exemplo, não deve ser fervida. “Ela deve ser misturada com água quente. A infusão costuma ser o ideal para obter todos os benefícios da erva”, explica.

Foto: Rawpixel / Unsplash
Foto: Rawpixel / Unsplash

Chás para ansiedade

Veja quais plantas são capazes de controlar o estresse. As informações técnicas a seguir fazem parte do livro Tratado das Plantas Medicinais Mineiras, Nativas e Cultivadas, da farmacêutica e professora Telma Sueli Mesquita Grandi.

Camomila

É provavelmente a mais pop da lista, e não à toa. Além de ser um excelente calmante para excitação nervosa e insônia graças à substância apigenina, que tem propriedades ansiolítica e sedativa, a camomila alivia sintomas como inflamações da pele, feridas bucais (neste caso, a dica é fazer bochechos) e má digestão.

Sugestão de conusmo: 2 colheres de chá de camomila para cada 250 ml de água quente. Deixe em infusão por 10 minutos e tome de duas a três xícaras entre as refeições.

Interações medicamentosas e associações: pode ser associada à melissa, à menta e à valeriana, também calmantes. Entre as ressalvas, há teorias de que a camomila pode aumentar o efeito de outros sedativos, segundo Grandi.

Contraindicação: é muito raro ocorrerem reações alérgicas, mas, quando acontecem, é por causa da combinação da camomila com outras plantas da família Asteraceae.

Toxicidade: a superdosagem pode causar náuseas, insônia e excitação nervosa. Em excesso, o chá da camomila também pode diminuir a absorção do ferro, de acordo com a autora.

Foto: Rodion Kutsaev / Unsplash
Foto: Rodion Kutsaev / Unsplash

Erva-Doce

Também uma das mais procuradas entre os chás para ansiedade, a erva-doce (ou funcho) é ótima para acalmar dores de cabeça, palpitações e estresse. À parte dos sintomas relacionados à mente, ajuda a tratar problemas gástricos e resfriados.

Sugestão de consumo: em uma xícara de 250 ml, misture uma colher de chá de erva-doce e água fervente; deixe em infusão por 10 minutos, depois coe e sirva. Beba de duas a três xícaras ao dia.

A nutricionista Alessandra Stefani sugere combinar a infusão de erva-doce com maçã, que também tem efeito calmante.

Maracujá

Quer uma dose intensa de calma? Troque o suco da polpa pela infusão das folhas do maracujá. É ali que estão as principais substâncias capazes de controlar a ansiedade e trazer tranquilidade à mente.

Sugestão de consumo: as folhas do maracujá podem ser fervidas e infusionadas. A recomendação é beber de duas a três xícaras ao dia. Para um sono mais tranquilo, tome o mais próximo da hora de dormir.

Interações medicamentosas e associações: de acordo com Grandi, a ingestão do chá de maracujá pode potencializar efeitos com álcool, depressores, anti-histamínicos, do sono induzido pelo pentabarbital e também dos efeitos analgésicos da morfina.

Contraindicação: gestantes (devido ao efeito estimulante do útero) e pessoas com diagnóstico de depressão (por causa do seu efeito sedativo). Pessoas que tendem a ter pressão arterial baixa também devem evitar o chá de maracujá.

Toxicidade: A autora recomenda controlar o uso das folhas na forma de chá, pois existem riscos de intoxicação cianídrica.

Flor do maracujá. Foto: Evelyn Hullinghorst / Unsplash
Flor do maracujá. Foto: Evelyn Hullinghorst / Unsplash

Mulungu

A planta é nativa da costa da América do Sul e tem a capacidade de regularizar os batimentos cardíacos e a atividade hipotensora graças aos alcaloides presentes em sua composição.

Além disso, funciona como sedativo, hipnótico e calmante dos nervos. Também é recomendado para aliviar dores reumáticas e tosses nervosas. O chá de mulungu é feito com as cascas do caule.

Sugestão de consumo: ferver o mulungu por poucos minutos e beber de duas a três xícaras ao dia.

Toxicidade: não há risco em relação às cascas do caule, mas as sementes do mulungu são tóxicas.

Valeriana

A raiz da valeriana tem efeito sedativo e, por conta da substância valepotriato, ajuda no controle da ansiedade, irritabilidade nervosa e palpitações. Na lista dos chás para ansiedade, talvez seja o menos saboroso.

Sugestão de consumo: a valeriana pode ser fervida e infusionada e deve ser ingerida de 50 a 200 ml por dia. 

Interações medicamentosas e associações: para potencializar o efeito dos chás para ansiedade, a valeriana pode ser associada às folhas de maracujá.

Em contrapartida, a planta pode potencializar o efeito de medicamentos à base de barbitúricos, benzodiazepínicos, alguns antidepressivos, álcool e anestésicos. A valeriana também pode interagir com remédios metabolizados no fígado, como o paracetamol.

Contraindicação: gestantes ou pessoas que tenham hipersensibilidade aos componentes. O uso prolongado da valeriana e em altas doses pode causar cefaleia e agitação.

Flor da valeriana. Foto: Wikimedia Images / Pixabay
Flor da valeriana. Foto: Wikimedia Images / Pixabay

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]