5 hábitos que podem evitar a paralisia do sono, conhecido como “ataque de pisadeiras”

O transtorno faz com que a pessoa não consiga mover nenhum músculo do corpo, além de enxergar animais, vultos e outras visões assustadoras

A paralisia ocorre quando nosso cérebro desperta antes do nosso corpo. O fenômeno ocorre durante a fase do nosso sono, chamada de REM. Foto: Bigstock.A paralisia ocorre quando nosso cérebro desperta antes do nosso corpo. O fenômeno ocorre durante a fase do nosso sono, chamada de REM. Foto: Bigstock.

No folclore popular, acordar sem conseguir se mexer, sentindo uma forte compressão no peito, é conhecido como um ataque de “pisadeiras”.  Os acometidos pela sensação relatam ver a figura de uma mulher idosa, pisando em cima de seu corpo e prendendo o seu tórax contra a cama.

Na literatura médica o episódio tem nome, sobrenome e passa longe dos fenômenos paranormais. Batizada de paralisia do sono, o transtorno faz com que a pessoa não consiga mover nenhum músculo do corpo, ao despertar ou pouco antes de dormir. Além da imobilização, quem passa por isso também frequentemente relata ver animais, vultos e sombras, preparadas para um ataque.

>> Paralisia do sono pode levar pessoa a enxergar animais e vultos

A sensação, que pode durar alguns segundos ou até minutos atinge cerca de 8% da população, de acordo com uma pesquisa conduzida no ano passado, pela norte-americana Universidade do Arizona.

>> Receba informações exclusivas! Assine nossa newsletter!

Em síntese, a paralisia ocorre quando nosso cérebro desperta antes do nosso corpo. O fenômeno ocorre durante a fase do nosso sono, chamada de REM (Rapid Eye Movement “movimento rápido dos olhos”), estágio onde vivenciamos um profundo relaxamento muscular. A paralisia ocorre quando esta musculatura ainda está inerte e não acompanha o despertar do cérebro. As visões, de acordo com os especialistas, não passam de sonhos que temos porque estamos apenas parcialmente acordados.

Para evitar o episódio assustador, a médica coordenadora do Laboratório do Sono do Hospital IPO, Adriane Iurck Zonato, garante que o melhor a fazer é “higienizar o sono”.  A especialista explica que a paralisia pode estar associada com outros distúrbios psicológicos, como depressão e ansiedade, mas quando se trata de episódios isolados, a paralisia é resultado de uma rotina ruim.

“O importante é que as pessoas tenham uma orientação sobre como melhorar sua qualidade do sono, evitando maus hábitos como ingerir bebidas alcoólicas ou cigarros, por exemplo, antes de dormir. Muitos acham que essas substâncias relaxam, mas quando seus efeitos passam, temos o efeito reverso”, declara a médica.

>> “”Paralisia do sono pode levar pessoa a enxergar animais e vultos”

Confira hábitos saudáveis, indicados pela especialista, para diminuir os casos de paralisia em sua rotina:

Tenha um horário marcado para dormir

Adultos precisam de sete a nove horas de sono. Identifique quantas horas são necessárias para você se sentir acordado e procure manter uma rotina. Dormir e acordar no mesmo horário, respeitando a necessidade de seu corpo é a principal chave para driblar a paralisia.

Bebidas estimulantes apenas de manhã

Café e energéticos estão no topo da lista das bebidas que devem ser consumidas até no máximo, a hora do almoço, de acordo com a médica Adriane Iurck Zonato . Mas também entram nessa lista chás do tipo mate e verde,  além de refrigerantes que contém cafeína.

Não fume

O cigarro não é indicado em nenhuma ocasião, mas se a pessoa já faz uso, o melhor é evitá-lo durante a tarde e a noite. Ele é um dos principais fatores que levam a uma fragmentação do sono.

Não beba

Muitas pessoas acham que o efeito sedativo das bebidas alcoólicas ajuda no sono. A verdade é que após o efeito passar, a qualidade do sono é muito prejudicada e isso acontece ainda de madrugada.

Desligue o celular

A luz dos aparelhos eletrônicos, captada em nossa retina, inibe a liberação da melatonina – conhecida como hormônio do sono.  Por isso o uso de qualquer dispositivo eletrônico deve ser evitado algumas horas antes de nos deitarmos.

 

LEIA MAIS

8 recomendações para você

Deixe seu comentário