Para recuperar do cansaço, cochilo tem hora e duração certas para trazer resultado

Cerca de 30 minutos de descanso podem fazer toda a diferença no rendimento do dia, orientam especialistas

Após um bom cochilo, deve-se acordar com a sensação de aumento de energia. Foto: Bigstock.Após um bom cochilo, deve-se acordar com a sensação de aumento de energia. Foto: Bigstock.

A correria da rotina pode ser exaustiva. Hora para acordar, horário para bater ponto no trabalho, hora do almoço cronometrada, compromissos familiares, atividades físicas, vida social… São inúmeras as tarefas e muitas vezes parecem faltar horas no dia para executar todas elas.

Muitos chegam ao fim de uma jornada completamente exaustos e sem energia. No entanto, 30 minutos de intervalo no meio desse turbilhão podem fazer toda a diferença: esse é o tempo médio recomendado por médicos para um cochilo eficiente.

>> Assine nossa newsletter e tenha informações exclusivas!

O neurologista do Hospital Santa Cruz, Thiago Yoshida, explica:

“O cochilo deve ser feito em um horário distante da noite e do sono efetivo habitual, para evitar a insônia depois. O recomendável é que dure de 10 minutos até uma hora”.

A dica para um bom cochilo é justamente evitar a cama e o quarto, ambiente que deve ser exclusivo para relaxamento e sono noturno.  Foto: Bigstock

E não precisa ir até em casa para fazer essa pausa – um local silencioso, com luminosidade adequada e que permita um descanso com uma boa postura (para evitar dores e torcicolos), é o ideal.

“A dica para um bom cochilo é justamente evitar a cama e o quarto, ambiente que deve ser exclusivo para relaxamento e sono noturno”, recomenda o psiquiatra e psicoterapeuta da Clinipam, Carmilon Rezende Neto.

Quando então fazer esse cochilo?Tradicionalmente, após o almoço é o horário mais adequado, especialmente se houver a ingestão de alimentos muito gordurosos. Esse horário é também o mais recomendado por ser distante da noite. “Após um bom cochilo, deve-se acordar com a sensação de aumento de energia. Se você acordou mais cansado, confuso ou sonolento, é um sinal de que acabou dormindo profundamente, e poderá então ter problemas com o sono noturno”, alerta o psiquiatra Carmilon.

>>> Por que as vacinas dão reações adversas em algumas pessoas?

“Por outro lado, deitar no sofá ao chegar do trabalho pode ser uma grande armadilha. Embora existam estudos que demonstrem inúmeros benefícios desse cochilo, ele não substitui o sono noturno, justamente por ser breve e não contemplar todas as fases fisiológicas necessárias. Pessoas com insônia devem evitar essa atitude”, diz Thiago Yoshida, neurologista do Hospital Santa Cruz.

Sono picado é sempre ruim?

Sim. O sono picado é considerado um tipo de insônia. “As fases do sono ficam interrompidas, atrapalhando todas as funções reparadoras do sono”, adianta o psiquiatra e psicoterapeuta da Clinipam, Carmilon Rezende Neto. 

“No sono fragmentado, suas etapas se sucedem de forma desproporcional, em detrimento das fases mais profundas. A consequência é uma evidente percepção de cansaço e dificuldade de concentração durante o dia”, alerta o neurologista Thiago.

Distúrbios urinários, respiratórios e emocionais são fatores que levam a uma maior probabilidade de fragmentação do sono. Quando o sono picado for prejudicial para as atividades diárias, o ideal é que se procure um médico, que poderá orientar quanto à realização de exames e definição de eventuais tratamentos.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário