Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Dança usa cirandas e músicas folclóricas para ajudar a memória

Criada na Alemanha na década de 1970, a Dança Sênior pode ser dançada em pé ou sentado e ajuda na mobilidade e na memória do idoso, pois usa músicas antigas

(Foto: Bigstock)

Os movimentos são simples mas fazem com que os braços, pernas e articulações da pessoa idosa se mexam e, sem perceber, reduzam as dores e desconfortos que a idade traz. Ao mesmo tempo, a Dança Sênior, modalidade de dança criada na década de 1970 na Alemanha, mistura músicas folclóricas e cantigas infantis que ajudam na memória da pessoa. Como pode ser feita tanto em pé, quanto sentado, e incentiva os participantes a tocarem os instrumentos musicais, é considerada uma dança inclusiva.

O Viver Bem conversou com as fisioterapeutas Ercília Pivoto e Luciane Criado, do São Cristóvão Saúde, que aplicam a Dança Sênior toda semana, durante uma hora, para idosos de São Paulo. Confira!

Dança Sênior é voltada para qualquer idade e tem benefícios comprovados (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

Dança Sênior é voltada para qualquer idade e tem benefícios comprovados (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

A Dança Sênior pode ser dançada em pé ou mesmo sentado. O que ela exige em termos de movimentos dos idosos?

A dança trabalha com movimentos de todos os seguimentos corpóreos, como tronco, membros superiores, membros inferiores e articulações. Não dá para separar as músicas por grupos musculares, já que nossos movimentos fazem parte de uma sequência muscular. As coreografias são de baixo impacto e de passos curtos, com alternância de músicas lentas e rápidas. Para quem faz a dança sentado, os participantes usam instrumentos de percussão, como chocalhos, triângulos e bastonetes para complementar, mas ainda assim se exige um movimento corporal.

Quais são os principais benefícios para o corpo dos idosos com a prática?

Como qualquer atividade de dança, a pessoa melhora mobilidade, coordenação motora, motricidade, lateralidade, equilíbrio e conscientização corporal. Especificamente sobre a Dança Sênior, temos benefícios comprovados e publicados na revista científica Acta Fisiátrica, em 2009. No aspecto emocional, o idoso se sente menos deprimido ou ansioso e, no aspecto físico, ficam mais ativos e interessados nas atividades diárias. A dança melhora a vitalidade, aumenta a disposição física, energia e prazer, além de diminuir a dor, pela mobilidade articular e muscular.

Modalidade de dança exige movimentos de braços e pernas, além de usar músicas folclóricas e cantigas infantis (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

Modalidade de dança exige movimentos de braços e pernas, além de usar músicas folclóricas e cantigas infantis (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

Como o uso de músicas folclóricas ou mesmo cirandas infantis ajuda na memória do idoso?

Todas as músicas da dança são baseadas em ritmos folclóricos, que lembram cantigas de infância, brincadeiras de roda, resgatando assim a memória musical da pessoa idosa. As músicas, realizadas em roda também promovem o acolhimento e afetividade, e são todas padronizadas.

Existe uma frequência mais indicada para a prática da dança?

Sim, uma vez por semana, como concluímos no nosso artigo, é uma frequência suficiente para alcançar alguns benefícios. Porém, se existir a possibilidade de realizar mais vezes por semana, provavelmente os resultados serão ainda melhores.

Idosos dançam a Dança Sênior, em 2014. Modalidade pode ser feita em pé ou sentado (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

Idosos dançam a Dança Sênior, em 2014. Modalidade pode ser feita em pé ou sentado (Foto: Divulgação no site do São Cristóvão Saúde)

8 recomendações para você

Deixe seu comentário