Para recuperar clientes, Mc Donald´s reduz sódio e gordura de lanche mais vendido

Objetivo é diminuir a quantidade de calorias, sódio, gorduras saturadas e açúcares no sanduíche mais popular entre as crianças

Para especialistas, o anúncio da rede é importante, mas não significa que restaurantes se tornarão totalmente saudáveis. Foto: Divulgação.

A rede de lanchonetes McDonald´s anunciou nesta semana que está mudando o cardápio de opções do seu McLanche Feliz em 120 países do mundo, incluindo o Brasil e a Argentina. O objetivo é torna-lo um pouco mais saudável para as crianças, que são os principais consumidores do combo composto por sanduíche, batatas fritas, refrigerante e um brinquedo de brinde.

De acordo com um comunicado emitido pela rede, o McLanche Feliz deverá ter no máximo 600 calorias com a redução de quantidades de sódio (650g), gorduras saturadas (10%) e açúcares (10%) em seus produtos. Algumas opções serão retiradas e outras adicionadas ao cardápio, mas ainda não foi divulgado o que mudará em cada país, já que cada um trabalha com diferentes configurações do lanche.

Menos batata

A mudança mais significativa de cardápio deve ocorrer nos Estados Unidos, onde as porções de alguns produtos dos lanches devem ser diminuídas ou mesmo eliminadas. Entre as alterações anunciadas, estão um tamanho menor da porção pequena de batatas fritas, que passará a se chamar “Kids”; a eliminação completa do Cheeseburger, que só será vendido se o cliente pedir; as porções de McNuggets terão apenas de quatro a seis unidades; e a redução da quantidade de açúcar em um achocolatado disponível apenas no mercado norte-americano.

Por lá, a diminuição na quantidade de calorias será imediata, e, segundo o comunicado da rede, deve ser implantada até junho deste ano. No Brasil, a mudança deve acontecer até o fim de 2018.

O anúncio da mudança foi bem recebido por nutricionistas e profissionais da alimentação, principalmente no que se refere ao combate da obesidade infantil. No entanto, a endocrinologista Rosângela Réa, do Hospital Pequeno Príncipe, explicou ao Viver Bem que essa alteração não quer dizer que as crianças podem sair por aí comendo quantos lanches quiserem: “isso vai continuar sendo uma comida processada que pode levar a outras doenças, independente da quantidade de calorias e gorduras presentes”.

Mais água

Há ainda outras mudanças nos cardápios do McDonald´s, como a eliminação de aromatizantes e conservantes artificiais, a inclusão de mais opções de frutas e vegetais, proteínas magras, grãos e garrafinhas de água.

Mas, segundo o nutricionista Marcos André de Melo, só alterar o cardápio não é suficiente. “Para conseguir algum impacto benéfico à saúde das crianças, seria preciso mudar todo o conceito de hambúrgueres e alimentos fritos, o que eu não acredito que vá acontecer no curto prazo”, diz.

Uma solução para isso poderia ser a retomada de antigos hábitos, como o de ir a um fast food só de vez em quando. Segundo Rosângela Réa, comer um hambúrguer era algo esporádico, reservado a um ou dois dias da semana, ou  em ocasiões especiais. “Muito disso também é culpa dos pais, que permitem que as crianças comam mais do que precisam. Eles devem ditar novos hábitos, mas também dar melhores exemplos”, completa.

A obesidade infantil já atinge 8% dos jovens brasileiros segundo o Ministério da Saúde. Foto: Shutterstock.

Obesidade infantil

Como regra geral, uma criança pequena necessita consumir de 900 a 1.200 calorias por dia. Ou seja, só o Cheeseburger do McDonald´s já seria responsável por um terço do recomendável. O sanduíche possui cerca de 300 calorias, mas é sempre acompanhado de porções generosas de batatas fritas e refrigerante, o que pode superar o montante diário em apenas uma refeição.

A estratégia de se mostrar preocupada com a obesidade infantil não é nova, e já vem ocorrendo desde 2011, quando o McDonald´s passou a adotar novos itens em seus combos. “A conscientização começou com a adoção da maçã como sobremesa e do suco no lugar do refrigerante. Mas é claro que a obesidade infantil não é causada pelo McLanche Feliz, e sim de todo o consumo de alimentos processados e hipercalóricos aliados à diminuição de brincadeiras que envolvam atividade física, dentre outros fatores”, explica o nutricionista Marcos André de Melo.

Um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que 1/3 das crianças brasileiras entre 5 a 9 anos está acima do peso. Os casos de obesidade, em 20 anos, aumentaram mais de quatro vezes nessa faixa etária, atingindo 16,6% em meninos e 11,8% nas meninas. Já o Ministério da Saúde indica que 8% dos jovens do país já são obesos, e que o problema é considerado epidêmico.

Para o nutricionista Andrey Wille, que trabalha em uma multinacional alimentícia, não basta apenas avaliar a ingestão calórica com base em números. De acordo com ele, é preciso priorizar o consumo de nutrientes e ter uma refeição saudável em que se possa saborear a comida como ela é. “Comer de vez em quando um fast food dificilmente trará qualquer problema de saúde, desde que ele represente apenas uma parte pequena da rotina alimentar”, explica.

>>> O perigo do colesterol alto em crianças: exame deve ser feito a partir dos 10 anos 

(Foto: Bigstock)

Mudanças pelo mundo

A expectativa da rede é de que as alterações sejam implementadas em seus restaurantes de 120 países até 2022, sendo 20 deles até o final deste ano. Em alguns mercados, o clássico McLanche Feliz já passou por mudanças, como as fatias de maçã no lugar das sobremesas nos Estados Unidos, o sanduíche de frango grelhado na Itália, e a porção de milho cozido como opção vegetariana na China, Japão e Taiwan. O combo, voltado às crianças, foi criado em 1979.

O McDonald´s Brasil informou, através de um comunicado à imprensa, que atende aos objetivos anunciados pela marca e que também vem promovendo mudanças em seus cardápios desde 2011. A rede diz ainda que segue empenhada em oferecer alternativas mais nutritivas no menu.

Confira abaixo o informe divulgado:

A Arcos Dourados, operadora do McDonald’s no Brasil, está alinhada com os objetivos recentemente anunciados pela marca internacionalmente. A prioridade da rede é com seus clientes, incluindo as famílias que serve diariamente. Com esse espírito, a empresa possui uma longa história de desenvolvimento de uma ampla variedade de opções equilibradas.

Desde 2011, a empresa no Brasil tem anunciado novidades que representaram importantes benefícios na composição nutricional dos cardápios dedicados a crianças e adultos, que chegam a representar aproximadamente 75% dos compromissos assumidos hoje, pela companhia. Como por exemplo, menos de 600 calorias nas composições do McLanche Feliz, além de reformulações para redução do açúcar adicionado nas bebidas e nutrientes como sódio, calorias e nos pães, que não apresentam gordura trans em suas formulações. Essas mudanças fazem parte do processo contínuo de aprimoramento do cardápio, que atingirão 100% destes objetivos até 2022. Além disso, no Brasil, a companhia, desde 2007, segue, voluntariamente, seu próprio compromisso e código de ética em comunicação publicitária.

De acordo com esses novos objetivos, a Arcos Dorados reforça que está empenhada em continuar oferecendo alternativas no menu equilibrado do McLanche Feliz, mantendo sua transparência em relação aos seus valores nutricionais.

David Grinberg, Diretor de Comunicação Corporativa do McDonald’s no Brasil

Brasil contra a obesidade

No ano passado, o Ministério da Saúde elaborou três metas contra a obesidade a serem alcançadas até 2019, como parte de um compromisso firmado com a Organização das Nações Unidas para assegurar o acesso universal a dietas mais saudáveis e sustentáveis até 2025.

Entre estas metas, estão deter o crescimento da obesidade infantil, reduzir o consumo regular de refrigerantes e de suco artificial em pelo menos 30%, e ampliar para no mínimo 17% o porcentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente.

Há ainda uma parceria com o Ministério da Educação para o programa de Saúde na Escola, com atividades que incluam noções de como preparar alimentos mais saudáveis na rotina dos alunos.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário