De dieta, mas sem alegria: como as privações exageradas afetam o humor

Regimes muito restritivos provocam alterações químicas no organismo que refletem no comportamento

Mau humor é só um dos sintomas dos regimes muito restritivos. Foto: Bigstock.

A vontade é a de devorar uma barra de chocolate, mas o objetivo é entrar em forma até o verão. No lugar do prato de macarronada, vai uma saladinha com peito de frango grelhado com purê de batata doce. Só pensar nessa situação já acaba com o humor de qualquer ser humano. Colocar em prática, então, exige muito mais do que dedicação e força de vontade.

>> Fazer dieta restritiva engorda mais do que emagrece, diz nutricionista 

A privação ou redução significativa de açúcares e carboidratos implica na alteração química do organismo, devido à diminuição da serotonina, um hormônio que regula o humor, o sono e o apetite.
Dor de cabeça, irritação, sensação de letargia e até constipação intestinal são alguns dos reflexos iniciais em programas muito radicais de emagrecimento.

Márcia Simões Alves, que atua nas áreas de Nutrologia e Estética da Clínica Éden, fala que há estudos científicos que comprovam que a dependência de açúcar é tão grave quanto a de drogas, incluindo os sintomas de abstinência. Um dos artigos que faz essa comparação foi publicado no British Journal of Sports Medicine e, de acordo com os pesquisadores, o consumo do açúcar seria uma “fuga” para outros vícios como o álcool e drogas como a cocaína e o ópio. “O grau de dificuldade para se livrar da dependência dos doces também é similar ao da dependência química”, analisa.

Mente sem energia

Paulo Guimarães, professor de Nutrologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e médico do Hospital Marcelino Champagnat, explica que o maior desafio em dietas muito restritivas é o déficit de energia cerebral. O cérebro é um órgão bastante ativo e é a glicose sanguínea que supre essa demanda energética.

Quando o organismo entra em privação, o mau humor é apenas um dos reflexos. Guimarães afirma que, em casos de jejuns muito prolongados, o cérebro precisa buscar outros tipos de nutrientes para manter seu funcionamento adequado. Nesse processo, os neurotransmissores, que são os mensageiros químicos do cérebro, podem falhar, resultando não apenas no mau humor, mas confusão mental, falta de orientação e outros problemas até mais graves.

Imunidade baixa

Mozart Souza Lima Morais, que trabalha com Medicina Esportiva e Preventiva, é ainda mais radical e afirma que “toda dieta restritiva está fadada ao fracasso” porque, além de interferir na fisiologia do paciente, pode comprometer sua imunidade. Segundo ele, são necessários pelo menos 90 dias de dieta – sem vacilos – para o corpo abandonar antigos hábitos, como a ingestão de doces ou carboidratos, por exemplo, que são os principais vilões na luta contra a balança.

“A dieta, sozinha e isolada, corresponde a 60% de todo o resultado do trabalho para emagrecimento ou fortalecimento muscular”, comenta, explicando que apenas 7% é responsabilidade da genética e o restante é fruto da dedicação com atividade física e qualidade de vida.

Dietas da moda x qualidade de vida

(Foto: Bigstock)

Silmara Leite, membro da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), explica como as dietas da moda podem interferir no bem estar e no humor das pessoas:

Cetogênica

A dieta cetogênica tem como princípio a ausência total de carboidratos e a ingestão de gorduras boas para estimular a quebra de gordura e, consequentemente, para a produção de corpos cetônicos. Os corpos cetônicos deixam o pH do sangue mais ácido, que decorre em uma acidose metabólica, causando um discreto torpor, uma apatia.

Low Carb

É a que mais ajuda no emagrecimento sem causar transtornos no humor. Isto porque mantém a quantidade mínima adequada de carboidratos, além das fibras.

Detox

Não se têm evidências a longo prazo de que esta dieta tenha resultados significativos. É uma dieta muito restritiva e promove perda de massa muscular. O efeito no humor é decorrente da fome excessiva.

Dukan e Hiperproteica

Seguem os mesmos princípios da dieta cetogênica, retirando totalmente o carboidrato, o que pode gerar uma depressão leve por falta da serotonina.

Sem Glúten

Não promove boa perda de peso porque os outros carboidratos podem compensar a falta do glúten, que é uma proteína vegetal. Não há alteração de humor relacionada a esta dieta.

LEIA TAMBÉM:

 

8 recomendações para você

Deixe seu comentário