Como a menopausa causa insônia
| Foto:

Menopausa tem sintomas desconhecidos pela maioria das mulheres. Foto: Bigstock

Cansaço, perda de memória e sonolência excessiva durante o dia são efeitos colaterais da menopausa que nem todas as mulheres conhecem. Com a redução do estrogênio e da progesterona, os hormônios femininos, cai o efeito protetor respiratório hormonal, o que causa insônia, ronco, apneia e pernas inquietas.

A progesterona é considerada um estimulante respiratório, e a ausência do hormônio faz com que a apneia apareça, de acordo com Helena Hachul de Campos, pesquisadora do Instituto do Sono e responsável pelo Ambulatório de Distúrbios do Sono no Climatério do Departamento de Ginecologia da Unifesp. “Durante os episódios de apneia, a pessoa acorda para ‘respirar’ e isso deixa o sono fragmentado”, explica.

Ondas de calor

Sintomas mais comuns da menopausa também influenciam na má qualidade do sono, como as ondas de calor, que podem levar ao despertar; as alterações de humor; vontade de urinar à noite; saída dos filhos de casa e mesmo a aposentadoria.

“As mulheres na pós-menopausa estão em processo de envelhecimento. O declínio da qualidade do sono é uma variável independente do seu estado em menopausa”, afirma a enfermeira doutora Sônia Maria Garcia Vigeta, da Escola Paulista de Enfermagem da Unifesp.

Tratamento

Cerca de 60% das mulheres na pós-menopausa são afetadas pela insônia, segundo a pesquisadora do Instituto do Sono, e uma solução passa pela reposição hormonal. “A terapia hormonal convencional diminuiu o número de despertares durante o sono tanto em mulheres em uso de estrogênio isoladamente, como em mulheres em uso de estrogênio associado a progesterona, quando comparadas às mulheres que estavam usando placebo”, diz Helena.

No entanto, mulheres que tiveram câncer de mama ou de ovário, que são hormonodependentes, não podem fazer reposição hormonal. “Embora se tenham dados de efeitos positivos, inclusive no sono, o uso da terapia hormonal deve ser individualizada, pesando riscos e benefícios”, afirma Helena.

Alternativa

Manter hábitos adequados e promover uma higiene do sono também pode colaborar, como ter um horário regular para dormir e acordar, ter um ambiente saudável para o repouso, não fazer uso de estimulantes do sistema nervoso ou de álcool horas antes de dormir. Também é válido buscar técnicas de fototerapia e acupuntura.

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]