Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Singapura tem primeiro bairro adaptado para idosos

Nos últimos 6 meses mais de duas mil pessoas, em Yishun foram educadas para interagir com membros da terceira idade

Idosos analisam empreendimentos imobiliários em Yishun - Fotos: Reprodução

A região de Yishun foi escolhida para ser o primeiro bairro adaptado para idosos, em Singapura, por ter uma alta concentração de membros da terceira idade. No bairro, 1 em cada 4 residentes tem mais de 65 anos. O local também é próximo de um hospital e geograficamente protegido.

O projeto começou com uma parceria entre o Khoo Teck Puat Hospital (KTPH) e a Lien Foundation, juntamente com a Prefeitura de Yishun, com o objetivo de que os idosos e pessoas com demência se sintam à vontade na comunidade. Para isso estudantes, voluntários e equipes de atendimento ao público em lojas, restaurantes, hospitais e igrejas, foram treinados para saber interagir com os idosos, segundo o jornal “Straits Times”.

De acordo com estatísticas do Institute of Mental Helth, uma em cada 10 pessoas em Singapura, com 60 anos ou mais, sofre de demência e até 2030 esse número deve dobrar.

“Frequentemente o idoso é estigmatizado. A vergonha é exacerbada quando as pessoas não entendem os sintomas e acabam reagindo mal”, disse o diretor-executivo da Fundação, Lee Poh Wah, ao jornal.

O projeto deve ser levado a outros bairros, criando mais comunidades adaptadas, para que os idosos possam continuar vivendo em suas casas em vez de hospitais ou asilos. Além disso, será lançada a campanha National Senior’s Health que tem como objetivo introduzir um estilo de vida saudável e ativo nas comunidades, para que os membros da terceira idade se sintam aptos a voltar ao trabalho.

O ministro da saúde Gam Kim Yong afirmou: “o importante é criarmos mais oportunidades para nossos idosos trabalharem. Nós estamos vivendo muito mais, e somos mais funcionais e saudáveis. Muitos idosos gostariam de continuar trabalhando para se sentirem úteis e ativos, além de poderem economizar mais antes de se aposentarem”.

Hogewey Village – Holanda

Em 2013 a Holanda criou uma mini-cidade para acomodar pacientes com Alzheimer, que ao invés de serem hospitalizados, podiam viver livremente.

O local possuia restaurantes, mercados, salões de beleza e todas as pessoas que trabalhavam nestes estabelecimentos eram profissionais da área de saúde, médicos, enfermeiros ou assistentes sociais.

No entanto esse projeto tinha custos similares aos cobrados nas terapias tradicionais.

mercado-holanda

8 recomendações para você

Deixe seu comentário