i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Saúde e Bem-Estar

Pilates na gravidez, pode ou não pode?

Mesmo sendo importante a prática de exercícios nesta fase, especialistas dão dicas de como o método deve ser praticado por gestantes

  • PorCamila Rehbein
  • 09/03/2016 12:58
Pilates na gravidez, pode ou não pode?
| Foto:

A prática de exercícios durante a gravidez ainda tem seus mitos, mas com diversos estudos feitos nessa área atualmente, também está cheio de verdades. Uma delas é que com o acompanhamento adequado feito pelo médico e instrutor, é possível sim continuar ativa nessa fase da vida. De acordo com estudos feitos na área, estima-se que 25% das mulheres grávidas apresentam algum tipo de sintoma musculoesquelético temporário, sendo a principal delas a lombalgia – nome dado para dores na região lombar associadas, em geral, a lesões e inflamações.

+Saiba mais: Aprenda a prevenir dores de coluna na gravidez

+ 4 exercícios para a gravidez e depois dela

Alguns motivos apontados pelos especialistas para esses sintomas comuns a gravidez são a mudança do centro de gravidade, a rotação anterior da pelve, o aumento da lordose lombar e o aumento da elasticidade ligamentar. Devido a essas alterações corporais, a prática de exercícios se torna fator importante a ser incorporado na rotina. “Em todas as fases da vida a atividade física ocupa um lugar fundamental, seja para manutenção, prevenção da saúde, aumento no desempenho físico e principalmente na reabilitação, os exercícios estão em primeiro lugar para aquelas que buscam uma vida mais saudável”, ressalta a fisioterapeuta e especialista em Pilates e condicionamento físico da Vida Saúde Pilates Studio, Alessandra Schultz.

Conhecido por trazer força corporal, o Pilates é um dos métodos mais indicados atualmente para mulheres grávidas. Um dos benefícios apontados para a prática do método por gestantes é que ele ajuda na tomada de consciência das mudanças que o corpo passa no decorrer dos meses. Mudanças de postura e como trabalha-las para compensar as alterações sofridas pela pélvis, coluna e ombros são alguns dos pontos positivos da prática. “Ela vem de encontro às necessidades das futuras mamães e tem se tornado uma prática de muita relevância no pré e pós-parto”, explica Schultz. As informações vêm de encontro ao estudo publicado pelas médicas Fernanda Lima e Natália Oliveira, Gravidez e Exercício, para o Hospital de Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

Segundo o estudo, exercícios resistidos de intensidade leve ou moderada podem promover melhora na resistência e flexibilidade muscular, auxiliando no combate de doenças durante e após o parto. Segundo Shultz, a prática de Pilates trabalha com o ganho de alongamento, fortalecimento muscular, correção postural, alívio de tensões musculares, melhora a circulação sanguínea, contribui para o equilíbrio cardiorrespiratório e tonificação muscular.

+ Pilates é bom em todas as idades

Com tantos benefícios assim dá vontade de sair agora e se matricular nas aulas, mas no primeiro trimestre é necessário que se tenha alguns cuidados especiais e pesquisar locais que tenham essa preocupação e saibam trabalhar os exercícios com a gestante ao longo da gravidez. “Nesse primeiro momento, é importante trabalhar com execução de exercícios simples, sem carga, não executar contração abdominal excessiva, evitar posições em decúbito ventral, ou seja, de barriga para baixo devido a contração diafragmática que ocorre nessa postura”, exemplifica Shultz. Além disso, nessa fase é de extrema importância a prática de exercícios de consciência corporal.

O método pode ser realizado uma ou duas vezes por semana com duração de uma hora cada aula e não traz riscos à gravidez. Todo o processo de aprendizado nas aulas são de extrema facilidade e feitos de forma gradual. Agora não tem mais motivos para ficar parada, não é mesmo? Fale com seu médico e alinhe com seu instrutor o passo a passo a ser seguido para trazer mais qualidade de vida para você e seu bebê.

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.